Arquivo diário: agosto 10, 2006


EU PODERIA

Eu poderia escrever aqui uma poesia minha.
Seja pra lhe deixar intrigado, desarmado,
Ou apaixonado.

Ah! Eu sei o que poderia!

Poderia recitar um canto
E te deixar preso num espanto – louco – ao ouvir
Minha forma descrente e incongruente
De fazer meus versos, retrocessos e sons.

Eu poderia fazer um texto diferente:
sem ponto nem traço sem métrica sem espaço
sem pingos nos is e sem regras tardias

Ah! Eu sei o que poderia.

Eu até poderia te mandar à merda de um jeito doce.
Aí você veria que não sente,
E que tudo que eu digo e escrevo se desmente.
Que por si só, esse jogo de leva e trás é uma mentira fria.
É um refluxo de idéias ininteligíveis
De um alguém que estando tão sem ter o que fazer
Fez ARTE!
E arte é coisa de mentiroso, eu sei.
Eu sei que até eu mesma poderia me chamar de mentirosa.

Eu sei, porque eu sei.

Ah! Eu eu sei o que poderia.

Brisa Dalilla =10/08/2006=

×××