arte malograda


O texto é estranho?
Estranha é a forma de lê-lo!
O texto é enfadonho?
Enfadonha é a forma de entendê-lo…

Meu texto é escasso de idéias inteligentes.
É todo se métrica, rima ou certeza.
Não é bonito, nem chamativo.
Não é interessante, nem altivo.
Meu texto não é para ser lido,
Ou quiçá entendido,
Por qualquer um de vocês.

Um, dois, três.
Ponto, linha, traço.
Rasga-se a folha,
Lê-se o pedaço. Rasgado…
A idéia foi maltratada.
O texto que já não era nada,
Foi-se.
Rasgou-se no tempo e espaço.
Não há mais ponto, linha ou traço.

E aqui, simplesmente desfaço,
Toda essa tentativa infundada,
De escrever-te ou traduzir-te
Arte malograda.

Brisa Dalilla =08/2006=


Sobre entojo

É alma que não se cala; Palavra que tira de tempo; Transbordo de sentimentos... Não é sopro, nem é v e n t o; É livre, leve e solta; É ar em m o v i m e n t o…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *