Daily Archives: May 29, 2008


1

Cubro-me com o manto da obscuridade infinita…
Escondo-me sob o véu da cortante saudade, que grita!
Começo sutilmente minha nobre encenação.
Subo no palco, há pouco, armado.
Vil peça teatral… Onde só posso demonstrar o que não sinto!
Tenho de provar ao mundo que não amo, não desejo e não vejo.
Apenas almejo, algo ou alguém que
Não há de…
Não há de…
Não há de ser nada além do que é!
Me encolho e me escondo.
Disfarço, infeliz, o que me abala.
O que cala a fala (e que confunde a mente no que se pensa e/ou sente).
Silente…
O coração ficou doente. Dormente.
Esquecido no vácuo do vão
Entre as curvas da curta (e distante)
Estrada pro infinito inexistente
E que dorme e sonha
Com um dia completo e diferente.

Brisa Dalilla =29/05/2008= 16:15

[Cuspida, sem título e sem correções. Toma aí. :*]


Carta de um ANJO


Na verdade, minha vontade é de voar por aí
Fazendo aquilo tudo que eu não consegui
Por ter fracassado ou então desisti

Então já sabe, se um dia desses me encontrar por aí
Voando lá no alto que é pra não cair
Só volto pro chão se você me impedir.

Que é pra ver se eu fico bem
Nesse céu que me faz bem
A saudade que o peito invade, fim.

Aquela brisa tava me chamando
Me convidando a voar por ai
Sou passarinho que não sai em bando
Por onde eu ando só você vai seguir.

(Falamansa)