Cubro-me com o manto da obscuridade infinita…Escondo-me sob o véu da cortante saudade, que grita!Começo sutilmente minha nobre encenação.Subo no palco, há pouco, armado.Vil peça teatral… Onde só posso demonstrar o que não sinto!Tenho de provar ao mundo que não[…]

Continue reading …