ARTE

Camena é minha arte,Minha criação,Meu roteiro inacabado. É meu sinônimo,Meu anônimo,Minha (ir)realidade. É meu sentimento(há tanto guardado)É meu realEspectro imaginário. É o poeta consistenteQue em sua poesiaNão se encondeE não mente. E que é meu(em sua maior parte)Até porque foi[…]

Continue reading …

IDENTIDADE

Chamo-me de quantos nomes quiser.Tenho a identidade que me convier.Ser uma única pessoa torna-se comum,Quase vulgar!Posso ser Cíntia, Maria, Anita,Todas as mulheres possíveis!Da garotinha que te põe malucoÀ mulher madura que te guia no escuro.Um criança crescida, que é embaladaNum[…]

Continue reading …

Tempestade de nós

Temos meteorologia, física e química próprias.Somos iguais que se atraem (e se distraem!!).Corpos soltos que se misturam e se contraem.Corpos do tipo opostos, e sempre a postos!Mistura homogênea, como bem disse a Palladino.Desafiamos a gravidade, abusamos da força,velocidade e aceleração[…]

Continue reading …

Desejo Contido

Beber, fumar e pensar besteiras.Obscenidades… Não importa o teor,Importa a intensidade! Intensidade da imaginação,Do cheiro ou do desejo contido. Intensidade do pejoQue não emudece. Não arrefece… Ah… Vem…Canta!E canta forte e ALTO!Que o desejo contido MATA! Brisa Dalilla =15/05/2008=

Continue reading …