Monthly Archives: July 2008


EU POR MIM MESMA 2

Não gosto de frases feitas.
Geralmente não gosto das que não têm sentido pra mim.
Quando amo, amo pra caralh*!
Quando odeio, odeio pra caralh*!
Não sou normalzinha.
Nem patricinha.
Nem maria-qualquer-coisa (gasolina/pick-up…)
Não me considero alternativa.
Me sinto apenas diferente.
Não sou revoltada com a vida.
Ela que se revolta comigo (*risos*).
Gosto de calça big.
Gosto de blusa curta.
Gosto de mostrar a barriga (quando estou de bem com ela).
Adooooro bota militar ou qualquer coisa que seja camuflada.
Mas isso nunca definiu meu estilo.
Posso mudar de hippie a lady em segundos.
Não nasci pra ser chique.
Não nasci pra ter festa que 15 anos chique.
Não nasci pra ter formatura chique.
Não nasci pra ter casamento chique.
Acho que vou casar na praia, descalça, relax…
Sentindo a areia nos pés…
Não sei comer comida chique.
No máximo uma comida japonesa, por qual sou louca!!!
Mas se pudesse mesmo comia tudo de mão.
Amo meus amigos.
Mas se rolar falsidade, a amizade acaba.
Tenho mais amigos que amigas.
Acredito, sim, na amizade de sexos opostos…
Normalmente os homens são melhores companhias pra tudo.
Er… Menos para ir em dupla fofocar no banheiro! (*risos*)
Odeio quando algo não sai como eu quero.
Mas, oras, isso acontece com todo mundo.
Acredito que quem não se incomoda vira parasita!
Leio muito, muito, muito x 452
Canto muito (quando não tem ninguém em casa).
Toco piano (apesar de estar muito enferrujada).
Grito quando estou muito chateada.
Esmurro a parede ou o que tiver na frente (cuidado!).
Tenho um TOC (transtorno obsessivo compulsivo).
Quem me conhece deve saber o que é: trançar o cabelo!
Converso sozinha.
Sempre achei que eu me entendo muito bem.
Minha moto era meu melhor confessionário.
Como a vendi, transferi essa função de volta para meus cadernos.
Eles fazem bem seu papel.
Me ouvem sem questionar ou recriminar.
E isso é algo que eu sinto falta nas pessoas com quem convivo.
Não cresci ainda.
Sou criança, moleca, menina. Sério!
Videogame, bicicleta, pump (máquina de dança), boneca, garrafão…
Agora que me tornozelo voltou a funcionar,
Pode chamar pra qualquer umas dessas que eu entro!
Tenho a certeza de que não vou crescer nunca!
Sou muito idiota com meus amigos.
Um deles sempre acaba me magoando vez ou outra, de algum jeito.
Mas depois de um tempo eu sempre perdôo.
Ainda não sei pedir perdão.
Mas dizem que minha cara de “tonha” pedindo desculpas é bonitinha.
Sou piadista (mesmo não sabendo contar piadas).
Gosto de ser admirada/elogiada.
Quem não gosta?
Não vivo sem meus livros e minhas AGENDAS!
Tenho umas 40 até agora…
Pelo menos umas duas por ano.
Gosto de internet.
Apesar de serem muitas as decepções.
Mas guardo no coração os amigos que fiz através dela.
Amo³ fotografia.
Em cada foto invento uma personagem,
Ou uma situação,
Ou então sou só eu mesma…
Com os sentimentos do momento.
Vá lá saber de meus arroubos repentinos, né?
Já bati boca com muita gente.
Já briguei muito.
Já xinguei muito.
E ainda xingo (muito).
Me magôo fácil.
Me apaixono fácil.
Acredito muito nas pessoas.
Mas não me engano tão fácil assim.
Tenho sempre um pé atrás.
Não sei até onde isso é vantagem ou problema.
Amo trabalhar.
Amo me dedicar ao trabalho.
Amo ser reconhecida pelo meu trabalho.
Sei que minha família é tudo pra mim.
Sei também que minha família é minha mãe e meu irmão.
São as pessoas que realmente importam.
Viajo sozinha desde os nove anos.
Minha vida é pegar minha mochila e partir no mundo.
Sem ter onde ficar…
Sem ter destino…
Só curtindo…
Poucas pessoas me entendem.
E eu acho isso ótimo.
Quem me entende não desiste de mim.
Apesar de saber que eu sou muito difícil de lidar.
Sou um porre, chata pra caralh*, exigente até não poder mais.
Tanto comigo quanto com os outros.
Quem conhece meus defeitos e sabe lidar com eles, me ganha.
Quem não consegue aceitar que se mande de minha vida!
E tenho dito!

Brisa Dalilla =01/06/06=
[atualizado em 29/07/08]


Escorpião 1

“Cuidado com o escorpião que anda em suas costas!
Será que de vez em quando ele te pica, te deixa envenenada?
Ou será que o veneno dele te deixa aliviada do mundo, te leva as nuvens, bem distantes dos mortais e de seu erros banais?
Será que ele anda em você ou você é seu próprio chão?
Ele aflige ou afaga?
Quem sabe te empresta seu veneno, te transforma em predadora pra fazer dos homens as suas vítimas preferidas, com sua cauda a nos seduzir sem piedade, remorso e com um prazer inquietante nos lábios…”

.
Presente recebido de um bom amigo…


AMO 5

Eu te amo…
Amo tanto e de tal forma, que às vezes dói.
Amo meio sem jeito, sem analisar direito.
Amo bastante e amo forte.
Amo sem preconceito,
E dane-se quem se importe!
Amo da forma que o amor tem de ser.
Amo teu cheiro, teu colo, teu poder sobre mim,
Amo direito, esquerdo, pra cima e pra baixo,
Amo de tantos jeitos, que amo pra todos os lados!
Amo sua postura evasiva, sua atitude lasciva.
Amo sua pegada traiçoeira.
Aquela, à sua maneira…
Amo sua disposição,
Seus sonhos, devaneios,
Sua falta de chão.
Amo tudo que não deveria amar…
Amo tão e somente porque o universo quis assim,
E agora não sou capaz de controlar nenhuma parte de mim.
Amo sem medo, sem apego, sem fim.
Amo de mim para você e de você pra mim.
Amo porque não existe outra forma,
E não posso deixar sentimentos incontidos no âmago de meu ser.

Brisa Dalilla =03/10/06=


A ENCENAÇÃO 1

……..

Olha, vou logo aqui te contar a verdade toda, que eu não sou de enrolação. Eu te enganei. Éééé, enganei mesmo! E enganei bonito. Quando eu comecei com aquele papinho molenga de “vamos tomar um choppinho pra relaxar” eu queria só te comer. É, comer mesmo! Igual a homem sacana que diz que só quer ‘pôr a cabecinha’. Eu te prendi certinho na minha teia. E você ficou com a ilusão de que tava me conquistando. Pobre tolo, ah… Você queria namorar. Eu só queria me divertir. Você queria a mulher pra casar. E eu só estava interessada numa parte específica de sua anatomia… Aquela timidez e o olhar lânguido que você tanto elogiou… Bah! Pura cena. Aquele excesso de pudor (assaz exacerbado), aquele papo de poucos namorados… Tudo balela! E você caiu na conversa do jeitinho que eu queria… Se apaixonou, se encantou… Olha, acho até que me amou! E ó, sério mesmo, eu não te amei nem um pouquinho. Eu estava é me deleitando com toda a encenação. Me deliciei porque estava ganhando um jogo que só eu sabia o enredo. Aliás, te conto mais! Você pagou caro por um crime que não cometeu. Seu primeiro erro foi me olhar e me querer. Errou também por investir na hora errada, onde eu, totalmente puta da vida com outro cara, precisava me vingar. Ah, e me vinguei lindamente! Ele me deixou de lado. Eu te dei a chance de partilhar a mesma cama que eu. Ele me esqueceu. Eu deixei você me ter para apenas afrontá-lo (em pensamento, já que ele não chegaria a saber de nada). Ele me magoou. Eu destruí você quando, após o seu gozo, ordenei que recolhesse suas roupas inúteis e saísse de minha vida. Ele jurou que me amava. Você me amou. E eu? Eu o amava, mas não te amei. E não te amo! Fui má mesmo. Uma boa bisca. E você? Apenas mais uma isca. Olha, sei que não vale mais nada tentar me desculpar. Fiz o que fiz com juízo. Sabendo que iria magoar. Talvez o que faça com que você tenha pena de mim, seja o fim da história. Não deveria te contar o que passei, pois como sofri só eu sei! Depois da noite terminada, virei aquela garrafa de conhaque barato que há tempos guardava. Embebedei sozinha. Fiquei como realmente merecia, deitada no chão daquela cozinha fria e vazia. Me penalizei por ser estupidamente idiota! Por expulsar de forma tão bruta um amor sincero que me bateu à porta. Me penalizei simplesmente por ser quem sou. Doida varrida de alma sombria que só escolhe os caminhos tortos para seguir. Espero que ao ler este texto, você não me maldiga, ou ache que sou o que não espero ser. Ria de minha cara, no máximo. E pode sussurrar entre os dentes que eu mereci. Mereci mesmo. E nada me fará pensar que não devo pagar esse preço…

……

Brisa Dalilla

Poesia é mesmo uma coisa atemporal… 2

A mesma poesia que te serve bem numa época passada,
cai muito bem em outras…


VOCÊ

Você chega sem saber meus segredos.
Faz medo!
E teu excesso de malícia me faz sentir esse medo gostoso.
Um estranho frio na barriga que entorpece o corpo.

Você chega com essa cara lavada,
De homem decidido.
Com fome, com ânsia…
Exalando libido!

Você chega com uma sutileza inconfundível,
Que nos fim das contas só me confunde mais!
Deixando-me tão à vontade para ser quem sou
E ao mesmo tempo me inibindo de ser só sua.

Você chega pra me mostrar
Que não era nada do que eu havia planejado!
Mas talvez por isso seja o que me faltava.
O avesso da minha máscara…

Você chega para me fazer te odiar,
Por conseguir me fazer de boba tantas vezes sem que eu perceba.
Ou por me fazer de boba, e mesmo percebendo,
Eu te dar uma sétima chance.

Você chega pra mim
Do mesmo jeito que chegaria para outra.
Ma não me importa,
Eu não ligo.

Você chega meio incomum.
Diferente desse, deste ou daquele.
E me olha de um jeito que só você consegue,
E me olha de um jeito que você nem percebe.

Você chega afundando as mãos em mim.
Segurando com força para que eu não fuja,
Pois sabe que eu tenho mania de fugir,
E sabe que é difícil me segurar.

Você chega para me revelar,
E mostrar coisas que eu não conheço.
E mostrar coisas que eu não sinto.
E mostrar coisas que eu não vejo.

Você chega para me completar,
Pra me acompanhar.
E mesmo assim consegue me deixar tão vazia.
Tão segura e ao mesmo tempo tão sozinha.

Você chega do mesmo jeito que vai.
Você me afaga, me beija, me atrai,
E simplesmente sai da minha vida!
Deixando-me sozinha no mesmo ponto de partida.

Brisa Dalilla =2005=


Até os astros já sabiam… 3

…Que minha minha missão nessa vida é ser piada na boca dos outros.

Prrrq só pode, né?! Só pode ser piada com a minha cara!

Vamo lá analisar o que os fodid… (Ops!) astros dizem:
.
Sagitário – Sua missão e seu dom nesta vida

A Ti, Deus pede que faça os homens rirem (tô fazendo, meu Pai… Podexá!), pois entre as distorções da Idéia Divina eles se tornam amargos (e eu bem sei…). Através do riso, darás ao homem a esperança (e é, é?), e por ela voltarás seus olhos novamente para o Pai (aê, Pai. Só falta cê olhar pra mim. Aqui ó…). Chegarás a ter muitas vidas (como ‘gata’ que sou. Méauuu!), ainda que só por um momento (como assim, Bial?); e em cada vida que atingires, conhecerás a inquietação (ah… Mas não me diga… Inquietação? Brisa? Nadavê!). Te será dado o dom da infinita Abundância (é, meu Pai… Você me deu mais abundância que a Carla Perez…), para que possas expandir (mais? Só se eu virar a mulher melancia!) o bastante até atingir cada recanto onde haja escuridão (isso é assaz dúbio… Quiçá ‘tríbio’!) , e levar aí a luz (tá… Agora para a palhaçada, né?).

.
Mas cê vê que onda? Expandir? Levar a luz!
Poeticão pra caramba. Mas pouco provável.
É… Acho bom eu parar de ler essascoisa de horóscopo…

Muá! :*

Ps: Veja o seu babado doido no http://www.misteriosantigos.com/


PULSANDO

Com você posso ser eu mesma,
Sem máscaras, sem mentiras, sem falsear.
Sem ter que me esconder
Ou me deter de ser o que sei ser.
Ah, você…
Que entre tantos eus ocultos desse mundo,
Escolheu meu mundo para pousar.
E fazer pulsar
O sentimento de todo momento
Em que acontecemos.
E se acontecemos é porque havia de ser!
Transformamo-nos na mais bela expressão do prazer…
Prazer de se querer
E de ser o mais gostoso do viver.
Amar, surtar, gozar e acolher.

Brisa Dalilla =25/05/2008=


Reflexos 1

Ritmo: Romântico/Balada
Composição: Brisa Dalilla

Teu futuro faz parte do passado
Tudo que se viveu, basta para fazer-te ver.
Fui eu, fomos dois, foi você.
Faça como quiser.
Já sei que entrei no jogo
Disposta a perder.

Teu passado direcionou o nosso futuro
Não há simplesmente como esquecer.
Se fiz, foi por vontade maior
Se fui, foi contanto em vencer.

[refrão]
Não amo ser dizer a quem.
Não rezo sem dizer amém.
E não quero te perder
Pra mais ninguém.

Se acabarmos com o acaso e com o não
Dá até pra escrever diferente
E não ter que pedir perdão.
Sentimos o que havíamos de sentir
Mas ó, agora já foi, vou ter que partir.

Teu passado direcionou o nosso futuro
Não há simplesmente como esquecer.
Se fiz, foi por vontade maior
Se fui, foi contanto em vencer.

[refrão]
Não amo ser dizer a quem.
Não rezo sem dizer amém.
E não quero te perder
Pra mais ninguém.


Indaguei a Mente – OTTO

Vai teu corpo, leva de mim
Teu passado todo.
Consolo
É ficar por aqui…
Vai ter a quaresma na terra
E a guerra não deve existir.
Só rima com escravos, não cravos
De bonitas rosas.
Já que indaguei a mente e não a alma
Que bonita flor…
Primeiro a imaginação
Depois eu poderia pôr.
Você faz bem isso
Que te amo…

Já que indaguei a mente
E não a alma
Elegi o amor…


AGOSTO

O agosto não tem mais gosto
Não tem mais certezas incertas
Não tem mais portas abertas
Não tem mais floresta pra viver.

O agosto não tem mais sentido
Não tem aquele brilho furtivo
Não tem a magia da novidade
Não tem mais você, meu abrigo.

O agosto não tem mais felicidade
Não tem passeio pela cidade
Não tem vento frio e cortante
Não tem mais a alegria no semblante.

O agosto nao tem mais nada
Não tem o trem partindo
Nem menina ansiosa na estrada
Não tem sua presença
Nem beijo quente na chegada.

O agosto não tem mais gosto,
O agosto não tem mais sentido,
O agosto não tem mais felicidade,
O agosto não tem mais nada.

Brisa Dalilla

___________________________________________

“Mel… Eu quero mel. Quero mel de toda flor. Antes que um passarinho aventureiro, que beija um beijo, doce sabor. Sabor colorido…”