Feridas mal curadas
São como portas entreabertas
Cheias de olhos a espiar



Brisa Dalilla

entojo

entojo

É alma que não se cala; Palavra que tira de tempo; Transbordo de sentimentos... Não é sopro, nem é v e n t o; É livre, leve e solta; É ar em m o v i m e n t o…

3 thoughts on “Feridas

  1. Nesta segunda eu faço 21 anos e me sinto com 42, seu verso traduziu meu estado de espírito…nos momentos de reflexão pré datas relevantes, sempre surgem momentos de futucar, olhos a espiar, seres a espera do momento de pisar…a festa dos vermes.

Leave a Reply to Dalilla Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Social profiles
Close

UserOnline