lá do alto 2


lá do alto ela só conseguia sorrir de leve, por trás do nervosismo. era tudo plano. era tudo novo. era tudo azul manteiga derretendo em nuvens brancas e fofinhas. “algodão doce” – ela sussurrava. a vida tinha consistência de algodão doce e gosto da bala 7 belo que rodava de um canto a outro de sua boca. hmmm… dava até pra acalmar a ânsia… dava até para diminuir o frio na barriga. dava até pra olhar o céu através da janelinha e chamar aquilo de VIDA!

brisa dalilla =05/06/2010=
durante a viagem para hellcife


Sobre entojo

É alma que não se cala; Palavra que tira de tempo; Transbordo de sentimentos... Não é sopro, nem é v e n t o; É livre, leve e solta; É ar em m o v i m e n t o…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 pensamentos em “lá do alto