o companheiro

porque nesses momentos de fraqueza e choro fácil,
o melhor que posso fazer é mais uma vez me perder,
lembrando de você:

 
“Pensava nisso quando ela ali
No portão da frente
Me viu pensando, quis pensar junto
‘pensar é um ato tão particular do indivíduo’
E ela, na hora ‘particular, é? duvido’
E como de fato eu não tinha lá muita certeza
Entrei na dela, senti firmeza
Eu pensava até um ponto
Ela entrava sem confronto
Eu fazia o contraponto
E pronto
Pensar assim virou uma arte
Uma canção feita em parceria
Primeira parte, segunda parte
Volta o refrão e acabou a teoria
Pensamos muito por toda a tarde
Eu começava, ela prosseguia
Chegamos mesmo, modesta à parte
A uma pequena filosofia […]
Eu fazia uma poesia
Ela lia, declamava
Qualquer coisa que eu escrevia
Ela amava
Isso também durou só um dia
Chegou a noite acabou a alegria
Voltou a fria realidade
Aquela coisa bem na metade
Mas nunca a metade foi tão inteira
Uma medida que se supera
Metade ela era companheira
Outra metade, era eu que era

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *