SENSAÇÕES 4


Cheiro.
Cheiro do sexo no dedo.
Cheiro do desejo na ponta do dedo.
Cheiro do cheiro.
Da pele que se repele.
Da pele, que se revele!
Do gosto, do cheiro, da pele.

Gosto.
Gosto do sexo na língua.
Gosto do desejo na ponta da língua.
Gosto do gosto.
De gosto que se gosta.
De gosto que se mostra!
Do sexo, do gosto, do cheiro, da pele.

Sexo.
Sexo no dedo. Sexo na língua.
Sexo na ponta do dedo.
Sexo na ponta da língua.
Sexo do sexo.
Da vontade que se repele (vontade da vontade).
Do desejo, que se revele (desejo que te invade)!
Do sexo que se mostra lúcido na ponta da língua e do dedo.

Cheiro, gosto, vontade, desejo.
Sem medo…

Brisa Dalilla =27/11/07=

___________

About entojo

É alma que não se cala; Palavra que tira de tempo; Transbordo de sentimentos... Não é sopro, nem é v e n t o; É livre, leve e solta; É ar em m o v i m e n t o…


Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

4 thoughts on “SENSAÇÕES

  • Diva Brito

    Ex-tre-ma-men-te (mente…mente…menteee!), Etchie!

    Mas o que eu queria considerar e que em breve você lecionará aos jovens estudantes de letras, a fórmula pra saber fazer uma poesia com quatro, três, duas, palavras!
    Me amarro, fico besta!!!

    Além disso, gostaria de fazer uma colocação (ui! essa foi só p te alfinetar!) no sentido que você deveria ter pena de mim e não ficar falando em sexo, sexo, sexo…sua amiga não merece tortura!

    Agora falando sério (Como diria Chico), você manda muito bem na abordagem desse tema! =P E eu fico só na tentativa e poso de poetisa erótica…mas depois de ‘Entre as pernas’ o mundo poerótico não é nem nunca será o mesmo.
    Ela abriu as pernas, digo, portas pra essa sua veia literária.

    Resumindo: Adorei mais essa!