diário


Quer dizer, 1

To sem acentos e metade do display do laptop desapareceu. Isso eh um fato.

Muitas mudancas estao acontecento por aqui. Isso eh um fato tambem.

Feliz? Triste? Apreensiva? Confiante? Tudo conflitantemente junto ao mesmo tempo agora.

Mas, como dizem os Apreciadores de Cerva “Quem comprou seu carvao molhado, que abane!”

Xo ir abanar o meu. B’gada.

Beijosequeijos


reclamações de sexta-feira

acabada. cansada. precisando muuuuito dormir. 
espero que as próximas notícias aqui sejam:
“brisa dalilla é vista numa praia deserta, com um drink mar azul numa mão, cigarrinho na outra, curtindo as delícias de um bom banho de sol, para que a vitamina A retorne ao seu corpinho branco”
beyjos. titia vai descansar.

=] 2

Indo dormir super feliz! Mais uma vez os super-heróis de minha vida salvaram o dia… Beijos enormes de amor demais para (na ordem de chegada na minha casa, pra não ter panavuê no babado) Mi, Kaúla, Diva, Léo, Ed, Lay, Barreirinha e a Mamy, claro, que sempre tá no bolo doido, participando. Falando em booooolo, né… Caraca! Bolo de Tia Zu é sacanaaaagem! Muito bom! E falei tanto em Capitu no meio da minha depressão pré aniversário, que até esqueci de assistir. Na verdade, quando eu lembrei e tentei ver um tiquinho, Diva veio com a raquete de matar muriçoca me tirar da frente da TV! Ora, ora… *risos* Muitas histórias de motel, de consultas de ginecologista, revelações bombásticas e banda Flor da Pele contagiando a galera com seus hits da baixada. HAHAHA. Foi lindo, mô povo. Atenuou a situação afro-brasileira que tá pegando por aqui… Thanx again and again and again!

:]


previsões [im]previsíveis 2

Fim de ano… Natal… Reveillon… Tempo de festas, presentes, melação. Alguns vem com a famosa lista de promessas (academia na segunda, estudar, trabalhar mais, arranjar um namorado decente, coisa e tal)… Mas eu só consigo pensar em como as coisas vem se repetindo ano após ano. Mas, fora a falação e o nhém nhém nhém sentimental que me dá vontade de jogar aqui, vou me dignar apenas a contar como foi emocionante meu último reveillon. Estava numa época realmente interessante, trabalhando no Tabocas Restaurante, me divertindo muito! Mas vocês já sabem que com mulher, a maioria das coisas que envolvem diversão e felicidade envolvem homem também. E tenho que dizer que estava ficando com um carinha que era um sonho. De apaixonar. Vamos chamá-lo de Chatinho, pra facilitar. Tava tudo lindo, loiro e maravilhoso… Dinheiro, trabalho, diversão, sexo, carinhos. O que eu ia querer mais? Como perseguida de Murphy que sou, tenho medo até de dizer isso… Depois sempre vem merda… O Chatinho estava planejando um reveillon perfeito pra nós… Ele tinha comentado isso até com minha mãe, vejam só a seriedade. Ia ser numa praia linda, que eu nem sabia o nome, regado a muito vinho canção e reggae (bem típico, se for analisar o perfil do rapaz). Mas aí entra o problema. Eu só ia ser liberada do trabalho no dia 30. Tinha até conseguido uma folga pro dia 29. Aí dava pra viajar de boa. Mas percebi, tardiamente, que o Chatinho tava se esquivando. Começando a dar aquelas fugidas de assunto típicas de macho. Eu até já deveria ser escolada nisso, mas acabei dando um crédito e acreditando na máxima do`Ele não vai fazer isso comigo…`. Tolinha… No dia 29 ele disse que passaria em minha casa para acertar os detalhes. Quando, no dia 29 mesmo, eu tentei ligar pro celular dele… Você atendeu? Nem ele… Caixa postal na veia… Eu já deveria esperar…. Se picou no mundo e me largou chupando dedo! Quando vi já era 31 de dezembro, e eu desesperada, em Itabuna, calor da porra, só com 7 reais no bolso (não consegui fazer um vale no trabalho). Pensei `Caralho! Será que eu mereço?`! Tinha que fazer algo… Peguei meus 7 conto e gastei numa passagem pra Olivença, onde sabia que seria amparada por meu lindo irmão e por amigos meus que nunca me deixam na mão (nesse caso estou jogando a bola pra Stanley, eterno salvador da pátria! rs). Certo, cheguei em Olivença, caxassa por conta da galera da casa… Tudo lindo, loiro e japonês… Quando uma menina da turma me fala que TODOS iam pra festa do Batuba Beach. Nesse momento eu devia ter apenas uns 50 centavos no bolso. Fodida e meia. Ia ficar na praça, olhando os fogos e ouvindo o show de longe, amparada por um hippie qualquer… Mas não me fiz de rogada… Tomei meu banhinho, botei o short mais sacaninha, com uma blusinha idem e fui pra porta do Batuba. Nesse momento vocês devem estar pensando `Será que ela vai rodar bolsinha, meu pai eterno?`… Não, pessoas… Ainda não cheguei nesse nível. Fiquei parada num lugar estratégico da porta. Sondei a área, pra ver se não tinha nenhum produtor conhecido. Já tinha identificado um amigão meu entregando as pulseiras do camarote (a quem, numa hora de desespero, super vale apelar). Esperei, esperei, esperei (insira muitas horas nada legais aí). Quando vi meu salvador! Um produtor amigo com que eu trabalhei há muito tempo e que estava na organização da festa. Bingo! Essa era a hora da velha cara de pau! Ele pergunta o que eu tava fazendo ali. E eu `Ah, Fulaninho. Tô esperando a galera chegar pra entrar. Mas já tô agoniada, porque eles tão com meu ingresso e nada deles chegarem…`. Ele prontamente ´Ué, não precisa esperar não. Não vou deixar você aqui fora de bobeira. Entra comigo! O seu é camarote, claro né?`, e eu `Claaaaro, né!`… Entrei lindamente e fui me instalar no camarote. Ri-que-za de meu Deus! Whisky a rodo, pessoas chiques e lindas da high society ilheense/itabunense, as tradicionais patricinhas da categoria bisca-trance (piriguete de rave) vindas especialmente de Salvador Bahia, gatchénhos malhadjénhos e a tradicional velharia que se junta no canto do camarote pra reclamar do ano que passou e dizer que `No meu tempo era melhor…`. Enchi a cara com o máximo de whisky que pude (já que não podia descer com o copo) e fui ver a queima de fogos lá da pista. Escolhi um cantinho mais calmo e comecei a reavaliar o ano que tinha passado. O retorno da minha aventura/perrengue em Conquista, as tentativas de me reerguer aqui nessa cidade, os mesmos erros, iguaizinhos em suma, mas cometidos de formas diferentes. E, last but not least, o fato de que eu estava me apaixonando pelo Chatinho que me largou sozinha no reveillon. Foi aí que eu prontamente decidi: ‘Vou desapaixonar!’. Sei que não é simplesmente assim, super facinho. Mas eu tinha que começar por algum lugar, né? E um cara que faz isso não merece porra nenhuma de mim… Aí fui correr atrás de me divertir até porque, afinal, eu merecia um descanso, né? E tome-lhe whisky, e tome-lhe beijo na boca e tome-lhe Lordão!!!! Vale salientar que, a parte mais importante dessa tríade citada anteriormente é Lordão, marréclaro! Nenhuma outra coisa no mundo (além de polenguinho *-*) é capaz de me animar tão rapidamente! E foi Lordão na veia até o dia amanhecer! Bom, começar o ano bêbada de feliz (e de whisky) já foi uma evolução. Normalmente meu aniversário e o reveillon têm sido datas depressivas (oh cels! e o aniversário tá chegando… :P). Podemos dizer então que meu 2008 começou com saldo positivo… Foi um ano difícil para caramba!!! Mas as coisas que ele me trouxe até agora eu vou levar guardadinhas comigo. Amores, dores, quedas e tudo mais. E vamos pedir pra que 2009 supere todos os anos que já passaram, como todo ano eu espero que seja.

:* muá muá, entojinhoos.lei como vai ser o reveillon desse ano. Na verdade não sei bem ainda… Por hora sei somente que será como todos os outros: sem planejamento, com muitas surpresas e se Deus quiser (e va

Reveillon Batuba Beach 2007/2008

direto da convenção de tatuagem de ssa 2

Sofriiiiii! E hoje ainda tem mais. Jacob me inventou um fundo… Aiiiiiiiiiiii, minha perninha! mas tá valendo à pena! Vamos ganhar essa porra! rs Beijos a todos e saudadessss de minha cidade feia e cheia de muriçoca (e das pessoas que vivem nela, claro)… :******


Sábado Animado 2

Depois de uma noite de sonhos maravilhosos com a tríade, fui intimada a participar do aniversário de 4 anos dos Apreciadores de Cerva! São aquelascoisa, né? Que sou eu pra dizer não a Tassêra, Rudrigão, Segundêra, Felipêta, Leozin, Dum, Rafilsk, Dumbagas, Jackêra, Sinvalzin, Aulêra, Beré, Rildinho, Marlon, Serviço e etc etc etc etc (vou morrer seca se citar todos os agregados do grupo)?!! Se não for, acordo (ou melhor, não acordo) morta! Apreciadores é um grupo que se formou à partir das reuniões da galera reminiscente do terceiro ano do Galileu e hoje é um dos maiores grupos farristas de Itabuna e região! Então… Biquíni numa mão, caneca na outra e vamo que vamo! Não tentem me achar, que meus dois celulares estão em casa, dormindo, lindos e loiros. Pode até deixar recado… Mas, eu hoje, meu amigo, só amanhã! ERREI!!!!


Essa época de seca no nordeste…

Tá russo o negócio aqui, meu povo. Calor miserável, muriçocas a dar de pau em doido (uiiii!) e eu na seca… Ops! O nordeste na seca! O Brasil na seca! Todo mundo na seca! Ahhhhhh, era pra ser um trocadilho, né? Me perdi. Ato falho, desculpa. Deve ser essa secura do mundo todo. Já tá afetando meus neurônios, meu raciocínio lógico, a vida, o universo e tudo mais [don’t panic! já diria o guia do mochileiro das galáxias]. Sede da porra… Peraê… *bebendo um litro d’água* Vou ligar aquela velha playlist só com Dave Mathews e sua voz roooouca delícia de mãe e dormir (e pra ver também se acalmo e se passa esse calooooor duzinferno!). Vou sim, meus amigos. Dormir e sonhar. E hoje (já tô apostando alto, olha só…), no meu sonho vai ter a tríade. Ééééééééé! Os incomparáveis, os inigualáveis, os incomensuráveis, os super-ultra-mega-power-lega-laser, meus mais perfeitos sonhos de consumo forever and ever: Chris Cornell, Hugh Jackman e Rico Mansur!!! Mas vou ser boazinha com o creme de minha vida. Nesse sonho eles só vão fazer coisas básicas e triviais. Hugh vai me dar massagem, passando aquelas unhas wolverínicas em minhas pobres costas cansadas. Rico vai me trazer comida japonesa de 5 em 5 minutos, dando (uiiiii!²) sashimizinho de salmão na boca, marréclaro. Enquanto isso Chris vai cantar “you call me a doooog” delicinha no ouvido. Só trivialidades, trivialidades (nesse caso não tão randômicas, já que sonho como esse só uma vez no ano. Pena)… Mas é isso, aí. Sonhar é bom, é bom sonhar. Pelo menos é melhor e mais empolgante que ficar assistindo Amaury Jr., matando muriçocas e ouvindo minha amada mãe roncando do lado, né. Ééééé. Nem rola… (uiiiii!³) Nem dá… Citando meu grande amigo e filósofo, Zaratruta “Vamo é sonhar, porque comer engorda, amar tá difícil e ganhar dinheiro impossível!” Beijomeliga

Sobre a arte de não ter idéias

Cri…
Cri…
Cri…

*bola de feno passando*

[…]

Tá um paradeiro isso aqui, né? As idéias tão demorando de surgir… Mas relaxem. Fé em God, que novidades estão por vir. E se tudo der certo, rola uma trip já na semana que vem. Aí sim! Tô precisando sair desse antro azevedista que se tornou Itabuna. Argh! E ainda estou decidida a não pisar na praça da fonte luminosa (emprestada) por quatro anos! Hunft! Deixa eu ir ali que desde de manhã estou empenhada em jogar metade do meu quarto fora… Quem sabe arrumando meu cafofo não acontece algo diferente… *rs* Ah sim, assim que me der um tiquinho de paciência, venho fazer mais um post diarinho contando minhas últimas peripércias. Os enviados de Murphy têm me perseguido por todo lugar onde vou. Acho que dá um caldo. Então tá, então…
Beijo, outro, tchau (by Manu)

Ataque de Bridget [1] 1


Poizintão… Tava cá conjecturando com meu botões. Será que eu não sou mesmo uma pessoa casável? Ou, pelo menos, a classe masculina atual parece achar isso verídico. Porra, velho! Será que só porque eu não sou totalmente certinha e ligada às convenções comuns da sociedade, eu não sou casável? Sei fazer uma macarronada massa, supimpona. Quando tô afim, sei arrumar a casa como ninguém. Tenho um tino show de bola pra decoração. Sei delegar funções e mandar (isso é muito bom pra saber coordenar as empregadas e tal). Sei me portar. Sei me arrumar. Tenho senso do ridículo e um desconfiômetro que funciona a todo vapor. E, last but not least, eu sei amar pra caramba, caramba! Do que é que precisa mais? Porque eu não sou uma pessoa casável? Na verdade, ultimamente, não tenho sido nem namorável, né. Tá foda. Vai ver que esse povo tem medo de mim. Seilá, seilá… Putz, mas e se eu virar uma daquelas tiazinhas solteironas e legais que moram sozinhas em algum apê da cidade grande, superrrrrr bem sucedidas profissionalmente e fodidas emocionalmente????? E se eu ficar pra titia? Gente, pensa bem. Se uma porra dessas acontece, eu posso, num dia lindo do ano 2035, acordar morta (quer dizer, se eu tô morta, nem vou acordar) com apenas meu gato siamês (Blasé… É, esse vai ser o nome dele) lambendo a minha boca e pedindo mentalmente “Volta, Brisa, volta! Eu só tenho você na vida!”. E os bombeiros gostosos e/ou policiais da missão especial gostosos (ou seilá quem que vai me achar) só vão ter aquela reação de pena “Olha, aquela publicitária-produtora-marketeira famosa. Tadinha, morreu aqui assim, sozinha”. Tá tô tendo mesmo um ataque Bridget Jones supimpa nos últimos dias. Tudo que eu penso é babaquice emocional, derramo zilhares e zilhares de lágrimas só olhando as nuvens passarem e penso que vou morrer velha, abandonada e feia, e não como nos meus sonhos dourados de morrer jovem, linda e bombando toda global, matando todos meu ex-ex de saudade! HA—-HA—-HA Cara, com essa imaginação que eu tenho das duas, uma: ou eu viro uma redatora-escritora-produtora-publicitária famosa ou então…. Então…. Então…. Não! Não existe segunda opção! Eu não vou virar uma tiazinha solteirona e legal que mora sozinha num apê da cidade grande, super bem sucedida profissionalmente e fodida emocionalmente! Próximo projeto de vida: tornar-me uma pessoa casável! Será que isso vai dar certo?
Continua…. (eu acho)

Ps: esse foi um ataque de sentimentos a la Bridget Jones. Se você não sabe quem é ela, o google é seu pastor e nada lhe faltará;
Ps 2: não dá pra ser libertária o tempo todo. Todos nós temos nossos ataques mulherzinha/homenzinho;
Ps 3: se algum psicólogo quiser me analisar de graça, tamos aí. Meu plano se saúde não cobre essas coisas…
Ps 4: a falta de cigarros mentolados está me deixando uma pessoa inutilizável…

Ps 5: me dá um chocolate ****
Ps 4: tá bom de ps já, né?

Je ne sais plus

Meu horóscopo falou que meu humor ia acordar ótimo. E realmente acordou. Mas não sei… Não sei. Tem aquela coisinha no fundo do peito apertando sabe? Aquela parada meio idiótica de sexto sentido feminino (que ás vezes eu preferia não ter!)… Tá pode ser que a alimentação (ou falta de) do fds tenha me deixado com uma azia estranha, que eu devo estar encarando como outra coisa… Seilá. Mas o aperto tá grande. Não gosto disso. As poucas vezes que isso aconteceu eu me lenhei bonito. Sempre acontece alguma merda bigmente enorme. Mas vamo lá, né? Acho que as coisas não tem como piorar, né? Senão dessa vez vou parar no Japão, cavando meu poço sem fim. kkkkkk Me poupe… Deixa eu ir trabalhar que (como sempre) tô falando besteira. Imitando Manu: Beijo, outro, tchau!

Relembrando…

“Oh! Cride, fala prá mãe
Que tudo que a antena captar
Meu coração captura
Vê se me entende
Pelo menos uma vez
Criatura!
Oh! Cride, fala prá mãããããããããããããe…”

Titãs – Televisão
http://www.youtube.com/watch?v=EFHPaihbMTY

Noite na casa de Dalmarzinho em Conquista (2007)… Muita viola de Anjito, a batucada de olodum de Giander e Bito, e muita amizade. =D Pra você ver como as coisas mudam… Anjito e Lana já tão com uma filhota nos braços. Gi e Si finalmente juntos na house deles. Dalmar e Cleíta que continuam no mesmo amor, não muda mesmo. Eu de volta a Itabuna. Bito na España. Mamy de volta a Itabuna também. Como as coisas mudam rápido, né? Nestante sua realidade é uma. De repente muda tudo! Tô prevendo muitas mudanças para os próximos tempos. Como diria Lombardi “Aguardemmmm”!

Babaquice emocional 4

Porquê as pessoas fazem questão de ser más, cruéis, vis (e qualquer outro sinônimo malévolo que você puder pensar)???? Porque, porquê, por que (tá, eu não sei usar os porques!)???? Tipo, quando você bem adolescentezinha, no aaaaaauge dos seus hormônios, acorda e se depara com aquela espinha de bruxa da carochinha, má instalada na ponta do seu nariz (ou queixo, ou no meio da testa)… Já dá um desespero louco do estilo “não vou sair de casa nunca mais!”. Aí, você bem linda-loira-japonesa resolve sair de casa, depois de passar dois quilos de corretivo pra esconder o estrago e vem aquela pessoa (má, cruel, vil) te perguntando: “O que é issomm no seu queixo-nariz-testa-whatever? Uma espinha, éééé??”. E faz aquela cara de “vitóóóóória dos céus, eu não tenho espinha”, esperando sua resposta. Você claro, arrasada e sofrida, só dá um sorriso amarelo e explica que são os hormônios e tal tal tal. Mas pra queêêêê caixas d’água alguém tem que fazer uma coisa dessas? Não já sabe que a pessoa já deve estar se sentindo a ameba do cocô do cavalo do bandido e ainda piora toda a situação, reduzindo-a a uma espinha amarela e purulenta ambulante? Pessoas más, cruéis e vis como essa merecem um bom e sonoro tapa no meio da fuça pra aprenderem a tomar seu comprimido de semancol de manhã cedo. Ou então deveriam juntar uns trocadinhos e comprar um desconfiômetro na Ricardo Eletro (super promoção do diammmm, pague dois leve ummm) pra deixarem de ser abestadas! Ô, mas eu morro de ódio!!!! Todo esse discurso raivoso aconteceu do nada? Nonnnnn! Claro que tem motivo. Acordei hoje super-mega-maxi atrasada pra chegar no trabalho (tipo, cheguei uma hora depois e todo mundo esperando na porta, porque eu tenho a chave) e não pude dar aquela arrumada matinal na lataria. Não deu tempo de instituir a guerra diária contra os pêlos malditos que surgem no meu queixo, devido ao excesso de hormônios de meu querido organismo. Aí já viu, né? Pra um observador minucioso que pára e pega meu queixo com a mão e analisa com lupa a situação, eu sou uma mulher barbada. Mas sei que são simples pêlinhos no queixo. Babaquice pura, né? Apenas pêlinhos… Bah! Mas eu odeio, eu detesto ter essa fauna de pelos escuros pelo meu queixo lindo. E isso me irrita. E já basta essa auto-irritação. Não preciso de ninguém apontanto pra mim e dizendo “olha, ela tem barbinha”! Mas é o que normalmente acontece. Estou rodeada de pessoas más, cruéis, vis e sem desconfiômetro, que me destrooooem com essas coisas. Bom… Acho que agora eu já desabafei. […] […] […] […] […] Agora me resta aproveitar o horário do almoço, pegar minha bela e linda pinça e guerrear contra os pêlos malditos que resolvem aparecer onde não são chamados. Deus é pai e sei que vai me fazer rica pra abusar do bem que é a depilação definitiva. Aleluia, aleluia, aleluia. AMÉM!