#melosidades


mundo estranho 9

algumas pessoas acham estranho fugir do trabalho às 16:35 e ir no posto comprar uma smirnoff ice. e outras acham mais estranho ainda alguém sentado no meio fio, fumando um cigarro despretensioso e tomando a mesma ice. outras acham estranho fazer uma tatuagem enorme na perna ou ter um quadril de 116cm. estranham felicidade, estranham amizade, estranham o jeito de ser e a forma de falar, se expressar. pessoas são estranhas e acham tudo que não é estranho como elas, estranho. eu também estranho certas coisas: tiazinhas velhas usando conjuntos monocromáticos e/ou misturando xadrez com listras; meninas tirando suas ankle boots em meio ao shopping porque os pés estão machucados e 5 minutos depois recolocando as mesmas botas, andando empolgadas na sua própria dor como se o mundo fosse feito desse colorido cretino e estúpido, quando um simples par de havaianas resolveria o problema. acho estranho gente que fala uma coisa e faz outra; gente que se define pelas coisas que tem, não pelo que é; gente que teima em insistir em relações infundadas e perdidas, apenas pelo costume, pela rotina de todo sempre. eu acho estranho gostar e não demonstrar, e nesse quesito eu me incluo como estranha, já que não consigo expressar mais que 30% do afeto real que sinto pelas pessoas (estranhas também). acho estranha essa amarração em fazer tudo que deve fazer, por medo bobo. ou por incredulidade. ou porque o que deveria ter dado certo algum dia, não deu, e você penou e sofreu em enorme descontrole. acho estranho querer controlar tudo. o mundo, a vida e as pessoas são incontroláveis. tudo gira e acontece em questão de segundos e a única coisa que você pode fazer é seguir. seguir e se mostrar. seguir e se dar. dar de presente ao mundo e às outras pessoas estranhas todo o convívio estranho de que você pode dispor. sendo chato, feio, bobo, cara de mamão. ou apenas mais uma pessoa comum, estranha como todas as outras e viva como todas as outras (deste plano). acho estranho se podar e se segurar. acho mais estranho ainda que, tudo isso que eu acho estranho, acontece comigo. sou parte desse mundo louco, estranho e lindo. feio às vezes, é verdade. mas o conceito de feio e bonito está naquela teoria da flexibilidade do rabo do gato (se é pro lado de quem vem, ou pro lado de quem vai). visões são pessoais, sentimentos são pessoais. mas no fim das contas todos nós sentimos, cada um em seu tempo, espaço e intensidade. todo somos estranhos e temos que aprender a conviver, aceitar ou até gostar, no fim das contas, da estranheza alheia. e é pra esse mundo estranho que olho hoje e me sinto perdida, sem fazer parte, sem me sentir inteira, sem me encontrar em qualquer palavra, tempo ou sentido. – mas ok, você diz, éssa é a vida. estranha. mas ainda assim, vida. mesmo não me sentindo parte de nada, muito menos dela.


everything or anything? 1

“Há algumas centenas de anos atrás, Benjamin Franklin compartilhou o segredo do seu sucesso com o mundo… Ele disse “Nunca deixe para amanhã, o que pode fazer hoje.”. Esse é o homem que descobriu a eletricidade. A gente imagina que mais gente ouviria o que ele tem a dizer…

Eu não sei por que nós adiamos as coisas, mas se eu tivesse que adivinhar, eu diria que tem muito a ver com medo. Medo de falhar, medo da dor, medo da rejeição. Às vezes, o medo é de tomar uma decisão por que… E se você estiver errando e não puder consertar?

[…]

O pássaro da manhã pega o verme. Um ponto a tempo salva nove. Aquele que hesitou, perdeu. Não podemos fingir que não avisaram. Nós todos ouvimos os filósofos, ouvimos os avisos de nossos avós sobre o tempo perdido. Ouvimos o recitar dos poetas encorajando-nos a aproveitar o dia.

Mesmo assim, às vezes, temos que olhar por nós mesmos. Nós temos que aprender nossas lições. Temos que varrer a possibilidade de hoje pra debaixo do tapete do amanhã, antes que não possamos mais.

Até que nós finalmente entendamos o que Benjamin Franklin quis dizer, por nós mesmos. Ter certeza é melhor do que ter dúvida, que acordar é melhor do que dormir e até o maior fracasso, até o pior e mais irretratável erro, supera o inferno de nunca ter tentado…”

Meredith Grey – G.A. S06E01


PRATODODIA 1

Foto: Milena Palladino / Edição: Brisa Dalilla

Como arroz e feijão,
é feita de grão em grão
Nossa felicidade

Como arroz e feijão
A perfeita combinação
Soma de duas metades

[…]

Me jogo da panela
Pra nela eu me perder
Me sirvo a vontade,
Que vontade de te ver

O dia do prato chegou
É quando eu encontro você
Nem me lembro o que foi diferente!
Mas assim como veio acabou
E quando eu penso em você
Choro café e você chora leite


O Teatro Mágico


horóscopo fdp comentado

trânsito astrológico
17/10 (ontem) às 23h52 a 20/10 às 12h39
Sol na casa 12, lua na casa 12

*comentários em vermelho

No período que vai de 17/10 (ontem) às 23h52 a 20/10 às 12h39, procure se recolher um pouco mais (mais?? oh, cels! nunca mais saio de casa…), Brisa, pois você estará num momento particularmente vulnerável, inclusive em níveis energéticos (tudo naquela mais que perfeita anormalidade habitual). Seu campo estará mais aberto, e você corre o risco de terminar absorvendo problemas e complicações que não são exatamente suas, o que pode incorrer inclusive em doenças físicas (tem algo a ver com minha coluna em frangalhos? obg ¬¬).

A sua sensibilidade estará também mais ativa, (‘shorando’ litros por qualquer coisa. o nome disso não é TPM?)de modo que neste período há o risco de você ter reações um pouco exageradas a determinadas coisas que em outros momentos sequer lhe incomodariam (é a velha Síndrome da Água Viva: encostou, se queimou!). Lembre-se de refletir neste momento, e procurar observar se você não está tendo reações um pouco exageradas. É possível, inclusive, que você venha a ficar lembrando de coisas não muito agradáveis… Que tal ter uma postura prática em relação a tais questões, Brisa? (tá, fácil falar, né…)

Uma interessante alternativa para esta fase é: observe o sofrimento alheio e veja como seus problemas lhe parecerão menores (como se eu pudesse realmente ajudar alguém nesse estado de nervos, né Ego?). É muito, muito provável que surja alguém passando por um momento difícil, e a pessoa se sentirá atraída por você. É como se ela captasse instintivamente que você pode ajudá-la, e acredite: você pode! Uma das melhores maneiras de não deixar que os problemas pessoais nos engulam é dar um pouco de atenção aos alheios. Afinal, existe tanta gente sofrendo muito mais do que nós (BAH!), e por motivos muito mais sérios…

Reflexão para o período: que dor estou sentindo? (já disse que é na colunaaaaa, PORRA!)


papa don’t preach 1

minhas cicatrizes são mapas
meu erros, escadas
para alguma tranformação
que não sei onde vai começar
ou terminar

minhas dores são besteiras
as crises, passageiras
para algum objetivo infantil
que não sei porque acontece
ou se esquece

minhas lágrimas são preces
as poesias, exegeses
para algum livro esquecido na estante
que não sei se vai ser pedra
ou diamante

minhas horas são dedos mínimos
os pecados, infindos
para alguma tristeza inesgotável
que não se sabe desnecessária
ou inevitável

Brisa Dalilla =27/10/2008=


difícil 2

difícil tentar dizer, quando não há nada a ser dito
difícil acreditar no que não está escrito
difícil ver as coisas com olhos crédulos

difícil acreditar nas pessoas que amamos
difícil se desfazer de histórias passadas
difícil tentar ser a perfeita namorada

difícil passar por cima de tudo
difícil ter calma, com o coração doendo
difícil tentar se fazer confiar a todo instante

difícil ser tudo que sou
difícil não aprender com meus erros
difícil ter de esconder tanto medo

[…]

difícil é deixar de enxergar tudo difícil…

Brisa Dalilla


reflexões flexíveis de quarta-feira

Os sentimentos que me povoam deveriam permanecer intactos, mas crescem vertiginosamente em escala máxima de medição. A mente, que em tese deveria estar calma e certa das coisas, do tempo e da vida, me trai, fazendo pensar coisas que não devo. Essa psicopatia extrema me faz constatar que sou louca mesmo, e que as coisas que faço, quero ou desejo são erros! Faz pensar que não sou eu a certa, a correta, a verdadeira. Faz com que eu coma poeira, ficando constantemente pra trás e pra trás. Quando é que vou poder voar em paz? Soltar as asas presas, correr pelo mundo, em meu tempo, em meu passo, em meu ritmo. Sinto-me tão insatisfeita, que penso que faço desfeita, a quem ousa me amar. E se começo a cogitar o que poderia ter sido, vou desesperadamente apagando esses pensamentos doentes. Não é “o que deveria ter sido”. É o que é. O que foi já era, ces’t fini! Quero fazer o que vai ser, não pensar no que não foi. Quero crescer, quero fugir, quero sumir. Quero ter tudo que não tenho e o que possa chegar a ter. Quero apenas viver.
[…]

Presentinho

“Espero que você espalhe as sementes qualquer que seja a sua senda, para nunca errar o caminho de volta para casa, escreva todas as suas idas e vindas, para de vez em quando, num momento de solidão, relembrar delas para, inclusive, rir das tristezas e chorar pelas alegrias…
Espero ainda que pelo menos meia dúzia de capetinhas possa herdar a sua irreverência, sua criatividade, sua eloqüência e seus versos, para deixar bem nítido que parte de você haverá de continuar…
Espero também que sua jornada seja tão dilatada que os seus possam se dar ao direito de mudar carinhosamente a grafia do seu nome subtraindo a letra r de Brisa…”
Obrigada!

citações randômicas da madrugada 1

São 04:25 da madrugada. Acordei de um pesadelo e entrei em outro. Ando assim, caindo, aos tropeços, aos pedaços. Não sei mais o que é viver sem peso. E que vem de todos os âmbitos da vida. Ando perdida com coisas que sei que não posso resolver. AGORA… Mas quem sabe o que haverá de aparecer em outros dias? Pode ser que sejam soluções… Mais problemas… Preparada? Talvez sim, provavelmente não… Por mais que digamos o contrário, nunca estamos preparadas para certos tipos de coisa. Ah…. Porque vocês insistem em me desafiar, em não acreditar em mim, em não acreditar nas coisas que digo e sinto? Eu sinto errado, falo errado, penso errado? Qual é!!! Tem tanta transparência aqui! Apesar de que, sei que por mais que eu ache que sou fácil de entender, só um indivíduo foi capaz de me compreender quase que totalmente e mesmo assim não soube “ser” comigo. Onde tá o erro? Comigo mesma? Quer saber de uma…. FODAM-SE. Sei que eu pareço que ainda tô atrasada, em lag eterno… Mas só estou tentando eliminar os fantasmas (os meus e os alheios) que insistem em pertubar minha vida, já atribulada. Para o presente, só deixo a minha loucura estampada na cara (que vem retornando aos poucos, observem). E na minha cabeça e coração permanece a intuição de que quando eu acordar do pesadelo ainda pode ser pior que isso tudo…

Mensageiro dos Anjos

O mensageiro dos anjos
Com seu cabelo lilás
Aperreava os demônios
Que habitam as catedrais
Do meu peito de menina

O deus pai da preguiça
Falava tão devagar
Era o sussurro da brisa
Era o balanço do mar

Como uma estrela cadente
Entrou na minha morada
Bebeu de minha saliva
Saiu e não disse nada

E eu fiquei sem demônios
Um anjo torto marcado
No céu da boca, no peito
No meu corpo tatuado”

————————–
Que Alceu permita-me as mudanças em sua música…


vontades estranhas e fatos randômicos 2

*eu sou estranha
*eu sou extremamente estranha
*eu sou eternamente insatisfeita

*quero comer nuggets há dias e não consigo
*minhas noites não fazem o mesmo sentido sem o bbb
*eu não sei mais escrever
*itabuna me agonia fortemente
*não sei como desativa o despertador do relógio e ele toca todo dia às 17:12
*acho que não tenho sensibilidade. talvez no máximo uma “nonsense”bilidade

*quero uma casa minha
*quero um gato siamês de nome Blasè
*o fato de eu ter 4 periquitos impede isso, claro
*voltei a malhar depois de mais de três anos parada
*percebi que continuo não levando a academia a sério
*como não levo a sério zilhares de outras coisas

*cada dia eu me torno mais antisocial
*não tô afim de saber se antisocial tem hífen ou não
*foda-se a reforma ortográfica
*fiquei quase 4 dias sem fumar
*voltei a fumar como se fosse a coisa mais normal do mundo (e quer saber? é!)
*tenho necessidade de ser ouvida

*me descobri mais ciumenta do que o normal e não gosto disso
*saudade de conversar com meu alter-ego predileto
*vontade de largar o trabalho e virar hippie em barra grande
*estou emagrecendo a olhos vistos e roupas de 2003 estão cabendo como uma luva
*o problema é que quando tô magra meus peitos somem em relação ao tamanho da bunda, que nunca diminui
*ainda não desisti de ir pra globo

*vou me inscrever no próximo bbb
*ainda não desisti de ser cada vez mais feliz

1beijo e 2queijos
flz psc
:*


(des)localizando 1

de dentro dos meus olhos você me olha
através do arco por onde contemplo todo teu brilho
de dentro da minha mão você me toca
através de gestos intensos por onde te sinto pulsar
de dentro da minha boca você me beija
e através da tua respiração a minha arqueja
de dentro do meu coração você me sente
através dos intervalos do tempo e do espaço
brincamos de ser protagonistas
do nosso próprio mundo.
de dentro de meu sexo, você me deseja
e através da fome que de seu corpo rijo, exijo
transcendemos juntos, os pontos ditos fixos.
nos embebemos da mesma energia
que guia nossa fome de alegria
e nos transporta para aquele mesmo mundo
onde não podemos perder um segundo,
onde sequer imaginamos futuro sem “nós“,
onde não admitimos mais sermos sós

Brisa Dalilla =09/03/2009=


predictable

[…]você sente como eu, mente como eu, se envolve como eu. Mistérios? Segredos? Nada mais há a descobrir. Mesmo porque chega perto o dia em que iremos partir. Cada um para seu lado, de sentimento guardado. Para um dia deixar aflorar, se o tempo (e seus caprichos) achar que devamos nos encontrar.