realidades


Repercussão ão ão ão […] 9

Senta aí, que lá vem post grande. É gente… Desde o último post muuuuita coisa aconteceu por aqui, né?. Tô tontinha ainda… Primeiramente a quantidade de visitas a este – sempre humilde – blog, que pularam de míseras 15 a 20 por dia (quando muito!) para mais de 2 mil!!
E isso porque eu tô olhando o relatório de anteontem… Hoje o negócio esquenta mais ainda, porque o pessoal que tava fora no final de semana volta querendo se inteirar de tudo. Ou seja, mais coisas vem por aí!

Colação de Grau + 14 nomes 17

Consegui!! Colei grau, gente!! Depois de 452 mil intervenções de Murphy e seus enviados (ENADE, Biblioteca, pessoas idiotas e muitas outras complicações) finally recebi meu certificado de Administradora, PORRA! Agora vamos ver a problemática pra pegar o diploma, se Murpy continuar sendo meu “amigo”…

Vejam o vídeo onde as coordenadoras engasgam tentando proferir meus 14 nomes!! hehehehe

Atualizado às 10:41

A prova física: o Certificado!

Atualizado novamente às 11:31 17:39 de 20/03/10

O negócio ficou sério, gente! O TRETA e o KIBELOCO fizeram posts com o vídeo, que já está com mais de 8.000 23.000 (porra!) views no Youtube!!!

Tô besta! HAHAHAHAHAHA

Atualizado novamente às 18:31 de 26/10/10
231.895 views oO


ele sabe de mim… 1

“Sou poeta, sou redondo e pequenino. Sou criança, sou bom, sou inocente. Tenho a pele macia, sou feito para o beijo e a ternura. Para o afago e a carícia. Se me envolvem com verdades e doçura, com poesia e com romance, eu me deixo conduzir com alegria. Dou a minha mão como se desse a própria alma. Entrego-me todo, viro um anjo sensual e delicado. Confio em quem me toca. Mas, se por acaso tentam me explorar; se me enganam e me mordem, eu reajo feito a salamandra: viro veneno. Se me oprimem e me engolem por maldade, produzo toxina fulminante. Ainda assim, e porque sou grande por dentro, eu sempre me salvo de quem me prende, e saio de novo para a Vida, louco e livre, como agora. E volto a ser gostoso, bem macio, poeta, doce, pequenino…

E pronto outra vez para o beijo e a lambida, para o afago e a ternura.”

Edson Marques


Republicando: Sobre microvestidos supersensuais 1

No Republicando de hoje, vamos rever a crítica ao caso Geisy Arruda, nossa eterna sub-celebridade da Uniban.
_____


Fui comentar num post do Um Passinho à Frente, Faz Favor, sobre o caso Geisy (Geysi, Geise, Geyse. Não sei a versão certa desse nome lindo de D’us) X UNIBAN. Daí que eu gostei tanto da opinião do Eden que desabei a escrever compulsivamente, o que gerou esse comentário enorme, abaixo reproduzido pra quem quiser ver. 
_________________
Tudo isso só pra explicar minha preguiça de fazer um post sobre… Daí vou me aproveitando desses momentos raros de vontade de falar sobre assuntos polêmicos. Já avisando que está tudo na íntegra, escrevi e dei ENTER. Se tiver algum erro, já foi. E recomendo que leiam o post dele antes, pra entender o contexto. Bom, vamos parar de enrolação e ir ao comentário logo:  
_________________
Poxa, de longe a melhor opinião sobre o caso Uniban! Já vou avisando que não vou opinar aqui sobre a atitude dos alunos e faculdade, deplorável até. É indiscutível que todos na história tiveram sua parcela de culpa (Uniban, alunos, Geisy). Não vou ficar repetindo o mesmo bla bla bla que todo mundo já sabe…
_________________
Quanto à Geisy… Olha…. Sou mulher, uso roupas curtas quando quero, mas uso meu desconfiômetro pra saber o lugar que eu posso pagar de gostosa. Porquê, gente, tá óbvio que a Geisy é daquelas que só sabem pagar de gostosa e acham que isso é a melhor coisa do mundo. Vulgaridade define.
_________________
Vou numa praia? Boto uma saia mais curta. Vou numa festa à tarde, no maior sol? Boto um short mais curto. Tudo tem hora e lugar! E olha que eu moro no sul da Bahia, calor infernal, abafado! Mas não vou dar a louca de ir pra faculdade toda coladinha e quase mostrando a bunda. Dá um tempo, né?
_________________

Quando as defensoras de Geisy vieram rebater, dizendo que era direito dela andar com o vestido, blá blá blá… só fiz uma observação, pensem comigo: quem está numa faculdade quer entrar para o mercado de trabalho, ser respeitado como profissional, etc etc. Que tipo de respeito uma Geisy, que trabalhava num mercadinho perto da faculdade com aquele vestido, vai impor pra alguém?
_________________
Que olheiro de empresa vai se interessar no perfil dela? Será que ela vai fazer uma entrevista de emprego com um vestido daqueles? No máximo passa no teste do sofá. É isso que as mulheres revoltadas tem que entender, você só recebe respeito quando impõe respeito. Queimaram tanto sutiã há anos atrás pra exigir respeito, participação igualitária, e tantas outras coisas que temos hoje. Então porque não valorizar isso da forma certa?
_________________
Mas dá pra ver que desconfiômetro não é uma coisa que vem de fábrica. O orkut ta aí pra mostrar isso (acessando o http://www.blogdapga.com.br dá pra entender melhor). Bom, finalizando o caso Geisy, já que ela faz turismo, no máximo daria pra se especializar em turismo sexual
_________________
E digo mais, já foi na Luciana Gimenez. Pra Sexy é um pulo!

____________________
É bom que isso me deu a inspiração certa pra fazer o post que eu ensaio há tanto tempo sobre  meu ódio às feministas. Vou ver se sai até amanhã. 

odeio odeio odeio 5

ESTOU COM UMA RAIVA MORTAL DA DELL. Os cretinos mudaram o prazo de entrega do meu notebook para 18/03!!!! Peças faltantes, disseram. Isso quer dizer que como eu já esperava ansiosamente por longos e terríveis 20 dias, vou ter que amargar mais o que… Xô fazer as contas… Noves fora whatever… 18 dias? é isso? mais 18 dias! É, essa merece um fffffffffffuuuuuuuuuuuuuu!



ok, eu já sabia que isso ia acontecer comigo. ‘naonde’ que euzinha ia ser a sortuda que recebe na data certa, né? ‘NAONDE’????? mais uma vez entro nas estatísticas de clientes quase totalmente insatisfeitos com a Dell. Bom, pra dizer que estou insatisfeita mesmo só se o notebook der defeito com menos de 1 an… Ops! melhor não falar nisso. Vai que acontece, né?
Grrr!
Fui! Vocês não merecem falar comigo nem com a minha raiva!

e-mail demais pra mim 1

olha só. sumida estou porque não entra na minha cabeça ficar postando mais do computador “dos outros”. com a iminência do meu notebook lindo e roxo chegar eu tô numa agoniiiia a ficar compartilhando… é como se eu só pudesse fazer certas coisas no note, sabe… tô doida? grandes chances. mas ó, pelo menos eu agora sou uma doida realizada “informaticamente”. mesmo que o agora seja daqui há 10 dias. beijos, já me voy. :*


pernas pro ar

estou de “férias”, gentes. depois de mais um pedido de demissão emocionante (quase tive que me ajoelhar!) estou de volta à minha city pra arrumar a mudança de casa. vou ajuntar “os troço” com o amado. =DDD e sim, estou muuuuito feliz! fora isso, daqui há mais ou menos uns 20 dias eu já vou estar com meu notebook lindinho nas mãos e voltarei a dar atenção (será) ao entojo, ao twitter e à vida internética de fato. faz muita falta participar de tudo isso aqui, viu? muita mesmo. mas, por enquanto, deixem-me voltar à minha bagunça. begos.

Eu tenho uma teoria… 5

Comparações. Estamos cercados por elas. Eu mesma adoro ver, analisar e comparar um monte de coisas. O interessante é quando as comparações geram teorias estapafúrdias.

Pois que não, eu hoje entrei no banheiro daqui da empresa e tive um insight supimpa. Na hora de fazer meu xixizinho abeçoado, percebi que a tampa tava toooda melada de xixi. Pensei: “Ô Caralho de asas verdejantes! Essas mulheres tem pinto ou eu tô doida? E olha, se elas tem pinto ou ele tá duro ou a pessoa tem mal de parkinson, prrrq né…”, aí dei uma breve limpada no vaso e fui fazer o meu.

Daí que um dia antes desse babado eu tinha feito aquela depilação sensacional, cavada toda, delicinha. E da minha mata não-virgem só tinha sobrado um bigodinho de hitler logo na chegada. Como cê pode imaginar, banheiro de empresa eu não sento no vaso.

Flexionei as pernas, chique no úrtimo em minha pose “banheiro químico de festa”, tudo certinho… E deu merda… Me igualei lindamente às gatinhas “de pinto duro” e sujei o vaso todo, minha calça, a calcinha, o chão…

Fiquei puta da vida, perguntando a mim mesma “Brisaaaaa… Que merda você fez?”e outras cositas más. Foi quando resolvi botar a cachola (e a imaginação a la Fantástico Mundo de Bobby) pra funcionar. Eis então, que surge minha mais nova teoria: Mulher sem pentelho é uma mulher direção! Comassim, Bial? Eu explico…

Acompanhe meu raciocínio. Sabe nas aulas de geografia, quando o professor falava que tirando a vegetação das encostas dos rios acontecia erosão, assoreamento e essas pestes todas que eu não lembro como chama direito, e o rio podia avançar nas encostas desandar o babado todo aumentando a possibilidade de enchentes? Então, vamos na lógica: sem vegetação = enchente, aguaceiro, melança.

Bingo! Casou tudo! De acordo com a condição sine qua non [/adêvogado] das minhas idéias, a situation é igualzinha à do banheiro! Pensem comigo, gatas. Serião. Nós, mujeres, temos que deixar o mínimo de pelo (ou pentelho como queira) para que o mesmo direcione o líquido uréico pro vaso. Faça o teste… A não ser que você sente em qualquer vaso por aí, quando a gente fica na posição já citada acima ou agachada (para o caso de fazer xixi atrás do carro na balada – eu sei que você faz isso, amiga!), o bendito xixi só vai certinho quando tem algum cabelinho logo na saída da periquita pra indicar o caminho…

Então, se quiser se manter limpa e ao mesmo tempo manter os banheiros por onde você passa no mínimo acessíveis, peça pra sua depiladora deixar uma pequena linha pentêlhica pra guiar seu xixi, amiga. Aposto que seu namorado/peguete não vai se importar com alguns pelinhos a mais que serão tão úteis procê. Só não se empolgue e faça a Cládia Ohanna, ok? Eu disse poucos cabelos, não uma taturana viva na sua calcinha. Sejamos higiênicos, né?

A população masculina que você pega por aí e a feminina que usa os mesmos banheiros que você, agradecem.

beijas.


a volta dos que não foram (no horário) 7

Comemorando um ano de ter perdido o ENADE, é hora de relembrar a saga do ano passado. =D Hoje, claro, sairei com 2 h de antecedência.
______________

É. Eu perdi o ENADE. Perdi por uma besteira tão idiótica que nem dá vontade de contar. Mas como as leis de Murphy me perseguem e recebem uma grande ajuda por eu ser tão lerda, resolvi contar. Acordo eu, linda, loira e japonesa, às 11:00 (tinha saído para beber no dia anterior…), com aproximadamente 2 horas de folga para me arrumar e chegar ao local da prova, marcada pra 13:00. Me arrumo e tal, tomo café e tal. Quando o relógio bate exatamente 12:oo eu saio de casa, pra chegar com pelo menos 45 minutos de antecedência, como indica o cartão de identificação. Mas então, me bate um estalo… Me pareceu que tava algo errado… E me dei conta do que poderia ser… Só pensei “Putaqueopariu, não pode ser que eu tenha feito essa merda…”. Resolvi ler denovo o tal cartão. Ó que bonito… Em letras miudinhas tinha um aviso super de ocasião: “Fechamento dos portões: 13:00 (horário de Brasília) – é de exclusiva responsabilidade do estudante osbersvar as diferenças de horário decorrentes de fuso horário ou adoção de horário de verão na cidade de realização do exame.” Só parei no meio da rua, olhei pro relógio… [12:10] Fudeu! Não ia perder meu tempo brigando pra abrirem os portões depois da hora, que eu já sei bem como é… E depois, chegando em casa, entro na net e vem de lá a Globo.com “Ao todo, 564.415 universitários deviam participar do exame que avalia 23 áreas de conhecimento.” Adorei o deviam… Considerando que todos os selecionados são menos idiotas que eu, 564.414 universitários participaram do tal exame… Agora, só ano que vem… E pra me previnir de Murphy e de tapadices by myself, vou chegar lá com 3 horas de antecedência, levo um livro, lanchinho pra esperar… A porra que for… Mas não perco denovo. Murphy, véi! Me erra, vá! Hunft!


#tédio 3

#tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio
#tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio
#tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio
#tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio
#tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio
#tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio #tédio


#TÉDIO