seilá


Eu tenho uma teoria… 5

Comparações. Estamos cercados por elas. Eu mesma adoro ver, analisar e comparar um monte de coisas. O interessante é quando as comparações geram teorias estapafúrdias.

Pois que não, eu hoje entrei no banheiro daqui da empresa e tive um insight supimpa. Na hora de fazer meu xixizinho abeçoado, percebi que a tampa tava toooda melada de xixi. Pensei: “Ô Caralho de asas verdejantes! Essas mulheres tem pinto ou eu tô doida? E olha, se elas tem pinto ou ele tá duro ou a pessoa tem mal de parkinson, prrrq né…”, aí dei uma breve limpada no vaso e fui fazer o meu.

Daí que um dia antes desse babado eu tinha feito aquela depilação sensacional, cavada toda, delicinha. E da minha mata não-virgem só tinha sobrado um bigodinho de hitler logo na chegada. Como cê pode imaginar, banheiro de empresa eu não sento no vaso.

Flexionei as pernas, chique no úrtimo em minha pose “banheiro químico de festa”, tudo certinho… E deu merda… Me igualei lindamente às gatinhas “de pinto duro” e sujei o vaso todo, minha calça, a calcinha, o chão…

Fiquei puta da vida, perguntando a mim mesma “Brisaaaaa… Que merda você fez?”e outras cositas más. Foi quando resolvi botar a cachola (e a imaginação a la Fantástico Mundo de Bobby) pra funcionar. Eis então, que surge minha mais nova teoria: Mulher sem pentelho é uma mulher direção! Comassim, Bial? Eu explico…

Acompanhe meu raciocínio. Sabe nas aulas de geografia, quando o professor falava que tirando a vegetação das encostas dos rios acontecia erosão, assoreamento e essas pestes todas que eu não lembro como chama direito, e o rio podia avançar nas encostas desandar o babado todo aumentando a possibilidade de enchentes? Então, vamos na lógica: sem vegetação = enchente, aguaceiro, melança.

Bingo! Casou tudo! De acordo com a condição sine qua non [/adêvogado] das minhas idéias, a situation é igualzinha à do banheiro! Pensem comigo, gatas. Serião. Nós, mujeres, temos que deixar o mínimo de pelo (ou pentelho como queira) para que o mesmo direcione o líquido uréico pro vaso. Faça o teste… A não ser que você sente em qualquer vaso por aí, quando a gente fica na posição já citada acima ou agachada (para o caso de fazer xixi atrás do carro na balada – eu sei que você faz isso, amiga!), o bendito xixi só vai certinho quando tem algum cabelinho logo na saída da periquita pra indicar o caminho…

Então, se quiser se manter limpa e ao mesmo tempo manter os banheiros por onde você passa no mínimo acessíveis, peça pra sua depiladora deixar uma pequena linha pentêlhica pra guiar seu xixi, amiga. Aposto que seu namorado/peguete não vai se importar com alguns pelinhos a mais que serão tão úteis procê. Só não se empolgue e faça a Cládia Ohanna, ok? Eu disse poucos cabelos, não uma taturana viva na sua calcinha. Sejamos higiênicos, né?

A população masculina que você pega por aí e a feminina que usa os mesmos banheiros que você, agradecem.

beijas.


lição do dia: 3

O que passou passou! Nada mudará o passado. Você apenas machuca a si mesmo com sua amargura. Para seu próprio bem, aprenda com o passado e, em seguida se afaste dele

Rick Warren


vontades estranhas e fatos randômicos 2

*eu sou estranha
*eu sou extremamente estranha
*eu sou eternamente insatisfeita

*quero comer nuggets há dias e não consigo
*minhas noites não fazem o mesmo sentido sem o bbb
*eu não sei mais escrever
*itabuna me agonia fortemente
*não sei como desativa o despertador do relógio e ele toca todo dia às 17:12
*acho que não tenho sensibilidade. talvez no máximo uma “nonsense”bilidade

*quero uma casa minha
*quero um gato siamês de nome Blasè
*o fato de eu ter 4 periquitos impede isso, claro
*voltei a malhar depois de mais de três anos parada
*percebi que continuo não levando a academia a sério
*como não levo a sério zilhares de outras coisas

*cada dia eu me torno mais antisocial
*não tô afim de saber se antisocial tem hífen ou não
*foda-se a reforma ortográfica
*fiquei quase 4 dias sem fumar
*voltei a fumar como se fosse a coisa mais normal do mundo (e quer saber? é!)
*tenho necessidade de ser ouvida

*me descobri mais ciumenta do que o normal e não gosto disso
*saudade de conversar com meu alter-ego predileto
*vontade de largar o trabalho e virar hippie em barra grande
*estou emagrecendo a olhos vistos e roupas de 2003 estão cabendo como uma luva
*o problema é que quando tô magra meus peitos somem em relação ao tamanho da bunda, que nunca diminui
*ainda não desisti de ir pra globo

*vou me inscrever no próximo bbb
*ainda não desisti de ser cada vez mais feliz

1beijo e 2queijos
flz psc
:*


dá licença, vou passar 4

antônimo de um tempo
onde, encantada pelo momento
tola, deixei-me levar

traduzi teu pensamento
esqueci todo lamento
consegui, aos poucos, lhe captar

no abismo furta-cor
onde camuflei meu amor
em dor, cheia de razão

afundei-me na não-mente
escondi o que se sente
impus, enfim, meu não

em nosso ateísmo religioso
meu deus é seu gozo
e a vontade foi cumprida

ama-me, quando te amo
rechaça-me, quando te chamo
leva-me da tua vida

Brisa Dalilla
—————
alguém me manda pra porra, fasfavor? pfffffff! b’gada!

esclarecimentos e etc

Mudando as coisas aqui (só pra variar). Layout antigo, mas com umas reformulações básicas. Dá pra perceber que eu tô com preguiça ideológica de tudo, né? Até sei que vocês tão se contorcendo de saudades e coisa e tal, mas mamãe tá sem inspiração meissshmo! Vamos dando uma segurada aí, curtam os links dos blogs amigos ao lado, trabalhem, bebam, façam sexo, sejam felizes. nada fora da desordem habitual de sempre (e viva a redundância!).
beijos, foi lindo, me bibem!

sabe, tchurururu… 3

Minha cabeça é uma coisa louca, sabeammm… É, pra explicar bem explicadinho, um antro de pensamentos desconexos descontrolados e impossíveis de se prever (até por mim mesma). Tipos quando você acorda com a maior certeza da sua vida e tá super *aceitativa*, porque realmente é a decisão mais acertada e talz. Aí, pans, passa um mísero minuto e você já não sabe mais de nada. A decisão tão certa é uma merda e já não sabe o que fazer da vida casar ou comprar uma bicicleta. Faz favor, GOD de my life, na próxima encarnação me faz homem, ou quem sabe uma pessoa corretinha que só tem que pensar em coisas banais. Tá bom, eu penso coisa banal pra caralho… Mas no meu caso reflete inteligência e sagacidade (=D).
Bah! Deve ser prrrq é hora de dormir e meu organismo é um enfant terrible, que frequentemente (trema? niente!) me embaraça nas horas mais impróprias e não me obedece meishmo! Queria virar a noite falando baboseiras, mas quem guenta? Pálpebras pesam, cabeça pesa, coração… Ah! Esquece o coração! Esse aí já tá lascado em banda… 😛
beijosmebipem :*

novidades? 4

então que dizer que vocês estão atrás de novidades… olha, fazer reclamações de que o blog não tá atualizado via fone, nem rola… se essapoha tem opção de comentários, é pra comentar, ora bolas! entonces… tô trabalhando (é nítido, devido meu sumiço das trivialidades bloguísticas) e isso é muito bom, claro. agora sim eu vou poder mudar a fala normal de “Tô sem reais” pra TÔ com CEM REAIS! essa é a única novidade importante. a única coisa que posso dizer “tudo certo e tudo resolvido”. prrrrq de resto, o mesmo bololô de sempre. ou, como fica melhor de entender, tudo na mesma desordem habitual. fato é que quito capenga (meu periquitinho de estimação) tá sentindo tanto minha falta que agora não quer mais dormir na gaiola dele. prefere minha cama. e isso se aplica a minha mãe também, que prefere que eu durma na cama dela. e nem adianta avisar que não tenho hora pra voltar pra casa. os dois ficam super preocupados… *risos* o resto das pessoas e do mundo ME ESQUECEU de com força. mas eu sou uma pessoa elevada e racional (mente que nem sente) e vou continuar no meu sambarilove minha vidinha. o que não tem solução, solucionado está, né? e samba e amor na minha cama sempre vai rolar (manacá rules ever!) independente do que o coração pede e ordena a sua dona. entooooooooooooooooooooon, pessoas. vamo levando e correndo e tal e coisa e coisa e tal. não vou dizer que 2009 é meu ano, que vai ser perfeito e bolinha cor de rosa. ao menos vai ser o ano de pular de com força na mola que tá no fundo do poço e saltar bonito! rezemos para que murphy me erre e esqueça de minha existência; que eu tenha força e vontade necessárias pra por meus planos adiante; que tenha a mesma força pra terminar coisas e expurgar os mini-demônios que me perseguem; e por último, mas não menos importante, que eu aprenda a escrever nos moldes do novo português, pós reforma. e que god, meu god, do pagode os abençôe para que tudo permaneça lindo, loiro e japonês como esperamos. eu bem que poderia colocar como resolução de ano novo parar de escrever com figuras de linguagem e expressões engraçadinhas a cada duas frases, mas aí qual seria a graça, né? e vocês são inteligentinhos pra sacar as paradas e tal e coisa. eu sei. remains the hint! kisses n’ cheeses. foi lindo. quer dizer,

quer dizer, [parte 1] 1

Já que a inspiração foi pra a casa do car…valho (aê Ruy Carvalho! Te dando IBOPE, heim!), pensei em fazer a merda listar todas as frases de efeito/impacto e meras expressões cômicas que uso diariamente (todo dia o dia todo), pra ver se são a merda que eu penso muitas mesmo. Vamo lá, comigo (uhuu!):

Assim como são as pessoas, são as criaturas

Expressão usada comumente no fim de uma frase ou diálogo, quando não se tem muito a dizer, dignamente roubada de Didi Mocó Sonrisal Colesterol Novalgino Mufumbo, rei das expressões idióticas desse brasilzão de meu Deus.

ex: Interlocutor 1- Pois é fulano, ele me traiu. Agora não sei o que fazer…
Interlocutor 2 – É, menina. Assim como são as pessoas, são as criaturas…

Viu como completa e explica tudo? Belezura… Próximo!

A vida é bela e as pessoas são legais

Adaptação feita de outra expressão muito usada por mim, na época do sucesso dos filmes A Vida é Bela e Central do Brasil. Antigamente a piada funcionava bem quando eu respondia “A vida é bela, não é central do Brasil!”, mas hoje em dia ninguém lembra mais disso. Então adaptei o babado, tornando a frase bem mais sonora e empregável em diferentes situações.

ex: Interlocutor 1- Caramba, sicrano. Eu achava que a galera lá gostava de mim. Mas nãoseiquemzinha me disse que eles falam mal de mim pelas costas…
Interlocutor 2 – Relaxa, moço. Abstraia e pense que a vida é bela e as pessoas são legais. =D

Pois é, né? Então…

A expressão mais linda e loira da face da terra. Fecha qualquer conversa, deixando claro que 1- o papo está desinteressante, 2- você não quer mais conversar e 3- cala a boca, porra! Adoro, adoro e adoro. Boa pra ser utilizada em papos com carinhas estilo miguel, meu amado coleguinha emeésseênico.

ex: imaginem o chat com miguel e pensem em que situação vocês poderiam usar.

Talvez sim, provavelmente não

Expressão introduzida por Diva Brito no nosso lindo cotidiano. Observem a característica dúbia (quase tríbia – opa! mais uma expressão) desta frase. Você explica e complica com a mesma facilidade e ainda introduz um mistério no ar. Fantástico!

ex: Interlocutor 1- E aí, fulaninho. Você vai largar seu trabalho pra virar hippie mesmo?
Interlocutor 2 – Talvez sim, provavelmente não… ¬¬

Dúbio, quase tríbio

Até hoje me espanto com essa. Porque nós temos formas de demonstrar que uma coisa tem duplo sentido, falando o básico *Dúbio isso, hã!*. Mas quando queremos falar de triplo sentido (vocês sabem, né… quando extrapola o duplo sentido) não há palavra que caiba tamanha magnitude! Aí saiu de minha boca essa coisa linda, que só pessoas evoluídas psicoticamente entendem.

ex: Ah… Botem suas cabecinhas pra funcionar… Cansei de exemplos. ¬¬

Entãããão… Vão me lembrando de mais expressões idióticas que vocês ouvem de minha boca (e que merecem análise) e gritem aí nos comentários. Eu só dividi essa bagaça em duas partes prrrq misquici das coisas que eu mesma falo. Bonito isso, né!

Tipo hoje, numa entrevista de emprego… Tinha lá no questionário Qual seu maior defeito?, e eu (linda, loira e japonesa) respondo: Minha memória é a minha agenda, nada mais. Ou seja, além de feia, chata, boba, cara de mamão e mais zilhares de defeitos, sou uma desmemoriada. E vocês ainda me dão crédito. Ora bolas… Quer dizer,

=D


jogo do contente 1

Algo errado… Algo errado… O pior do jogo do contente é ter que fingir que tá tudo certo, quando tá tudo errado… Errado… Errado… É como se meu corpo não fosse o meu corpo mesmo. Alguém me tomou enquanto estava dormindo, trocou tudo de bom que tinha aqui dentro por lixo, tudo lixo… E não. Não dá pra tirar o lixo todo assim… Tô sem pá, tô sem gari. Mas eu continuo tentanto e tentando, até quando não aguentar mais. Até quando não puder mais voltar do desmaio rápido. Até quando não for mesmo um desmaio rápido. Aí talvez percebam que era tudo jogo do contente, e que apesar de eu tentar camuflar, não… Não tá tudo bem…  


quinta quinta quinta quinta quinta

pára tudo, que eu tô entrando em estado de psicopatia galopante nível 5! hoje é quintaquintaquinta mas eu não consegui botar o pé pra fora de casa… argh! preciso de um banho gelado. preciso de uma bebida gelada. bebida! gelada! é isso! é isso! peraê… *corre pra buscar um copo de vinho* vinho seco… eca! alguém explica pra meu irmão que eu sou pobre de natureza! e pobre raiz bebe canção tinto suave e fica com ressaca de dois dias seguidos, segurando de um lado pro outro a cabeça quase em estado de elefantíase. diboua… diboua meeeeeishmo! quem é que fica em casa em pleno 25 de dezembro postando num blog, cujo nome é entojo!? quem, quem, quem? só moi aqui. *bebe mais um gole do vinho* pior você, caro colhéga, que se digna a ficar lendo minhas sandices assim, em pleno dia de caxassada pós ceia de natal. ó, ó, óóóóó… se ligue… *hic* caramba, vinho bom! *bebe mais um gole* mas sabe o que é pior que isso tudo, disso tudo? *hic* caramba denovo… esqueci o que ia dizer. e olhe só.. era uma idéia massa… era alguma coisa boa o que eu ia dizer. mas, segundo meu irmão, quando você esquece é porque não era importante. hoje é quintaquintaquinta! amanhá é sexta! e que diferença isso faz numa vida onde os dias estão todos iguais? nada! nenhuma diferençazinha pequenininha sequer. as pessoas, em teoria, devem se divertir nessas épocas festivas e tal. e quando eu entro na caralha do MSN só vejo nicks insatisfeitos com o natal, reclamando do natal, hostilizando o natal, e tal. pelo menos não tô sozinha nessa coisa meio de grinch… não sabem quem é o grinch? google me baby! até prrrq né, se você não sabe quem é este verde rapaz com certeza nem tevê aberta você assiste, caro colhéga. *mais um gole, hic!* vinho bommmm… ah, micalatéia… saudaaaaade. ô véi… se ligue. me empresta derréal aê. o vinho ta acabando… bom… mas deve ter mais algo aqui nessa casa pra se beber. *corre pra cozinha* rapaz, só achei catuaba (não bom pro momento abandonativo que me encontro), campari (o xarope pra garganta de gosto ruim que eu tomava quando era pequena, perde feio!) e três celvejas que sobraram do níver de ban. innnncrusível, boa festa aquela viu… boa boa boa. valeu mais que a semi-ceia daqui de casa e a noitada péssima na ballo. a última equipe de sobreviventes saiu daqui de casa 8 da manha, depois de um café da manhã com milkshake e coxinha da danúbio. dilícia! falando da noitada na ballo… ballo, pois é. todo ano amermacoisa. fico parada num canto qualquer, vendo as pessoas passarem. reconheço uns conhecidos do colégio, alguns chatos que nem posso cruzar o olhar e já querem vir falar comigo, um ou outro ex-ficante, ex-amor, ex-qualquer coisa. só dá pra perceber como o tempo passa, como as coisas mudam. acabou o vinho do copo, vou buscar mais. *caminha, se estabacando, pra cozinha* peraê, que já volto. tá passando greys anatomy. na tv de mamy *30 minutos depois* ahhhhhhhhhh! eu sou uma bebona, babona, chorona mesmo… o episódio de hoje era aquele em que grey segura uma bomba dentro do peito do cara. ela tá bem pra morrer e tal, e só consegue pensar no mcdreamy. no fim eles se encontram, é tãããão bonitinho (e tão triste). ela diz que antes de quase morrer só pensava em que não conseguia lembrar do último beijo deles. e ele descreve direitinho como foi, até como o cabelo dela tava cheirando. ai, ai, ai. eu lembro do último beijo da gente. mas nem cabe contar aqui, seu moço. olhe, grey, tô na briga, viu.. se vacilar eu roubo seu papel na série. tudamermacoisa. então… fico aqui. o vinho acabando, a noite acabando, a quinta acabando, coisas acabando o tempo todo. mas aí me lembro de uma coisa que diva me disse… que as coisas não terminam. elas ficam guardadinhas em algum lugar aqui dentro, maturanto, crescendo (ou diminuindo). mas não terminam. soube disso na hora exata em que ontem, olhei nos olhos do meu primeiro namoradinho, minha primeira paixão, bem de criança, e vi que ele lembrava das mesmas coisas que eu. sentia da mesma forma, sabe… os tempos são outros, o sentimento mudou, mas a parte bonita sempre fica ali, pra lembrar que estamos vivos ainda. as coisas mudam, modificam, se transformam, mas não terminam. a não ser esse texto tétrico, claro, que já passou da hora de terminar. beyjos, queijos e até o próximo surto.

Capitanear

Eu estava bem aqui

Prontinha pra me regenerar
Disposta e virar meus conceitos
Como achei que deveria estar

Aí você vem e me desfaz
Se embola nos gestos
E vem tropeçando por trás
Destoa todo conto encantado
(que na verdade só vinha de mim)

Se vira e joga tudo pro alto
Da forma mais estanque e banal
Quebra todas regras,
Por causa do pecado original.

Eu pensava ser o capitão deste navio
Agindo com mãos curiosas e pontas de dedo.
Dia após dia, esperei muito de você, meu amor.
Dia após dia, esperei que descobrisse meu segredo…