dispensada de salvar universos

esconder-me de você

Não quero mais fazer poesia,
Pois minha mente vazia
Não consegue mais criar.
Não quero expor meu verso,
Meu retrocesso,
Minha ânsia de gritar!
Não quero mais mostrar minha alma
Pra tanta gente que não me entende
E não quero ser como essa gente.
Não deveria calar-me, apesar de tudo
Mas sinto-me obrigada
A tapar o sol com a peneira.
E esconder minha poesia,
E esconder-me de você.

04/2005

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *