dispensada de salvar universos

mundo do amor

Há um calor pesado
Que me leva a um infinito profundo.
Outro mundo!
Onde sobrevivo de desejo.
E ao que vejo,
Meu pejo detém a força deste calor.
Alimenta a fornalha
E aumenta o ardor.
Aquece-me
E transforma-me em plena paixão.
Preenche o vazio de emoção.
Quisera eu permanecer,
Infinitamente,
Neste mundo escuso.
Clamando por mais calor,
Para encher-me de amor…
Quisera eu sair de meu mundo cão,
Onde a frieza e a falta de emoção
Dominam e entristecem
Pessoas sedentas de novos sentimentos.
Pessoas que precisam mudar
Mas não receber qualquer tipo de alento.
Eles aguardam este calor pesado,
Que em meus sonhos me transporta
Ao tal infinito profundo…
À paz infinita
Do meu Mundo do Amor!

29/03/06

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *