dispensada de salvar universos

paixão inexata

Se ela insistir em vir
(paixão inexata, abstrata),
Deixe que chegue depressa.
Que arrebate os sentimentos,
Que transforme momentos,
Que ilumine o semblante
E não arrefeça o fogo iminente.
Deixe que chegue do seu jeito,
Mandando no peito.
Cheia de força, graça,
E, é claro, pirraça!
Deixe que destrua
Ou então que cure.
Faça com que cresça
E permaneça.
Que seja diferente,
Intransigente ou eloqüente.
Mas que apenas seja
O que há de ser,
Paixão inexata e abstrata
Que insiste em acontecer.

Brisa Dalilla =03/2006=

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *