dispensada de salvar universos

INCOLOR

Total…
Moralista ou
Amoral?
Fim de um final,
Que pôs-se afinal
Em uma relíquia
Desse fim banal…
Se fostes o total
Que aguardo, imortal…
Ser-te-ia a mensagem,
Pré-fixada imagem,
Medo, desejo, amor,
Num papel, não branco:
INCOLOR!
Fulgurante imagem
Do que aguardava até então…
Em polvorosa,
Vívida,
E suplicante de paixão…

Brisa Dalilla =2001=

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 pensamentos em “INCOLOR”