dispensada de salvar universos

CAMINHO

Ando meio torta.
Meio sem direção
E sentido.
Ando só por andar.
Sem fazer diferença
Ou modificar.
Ando por essa vida torta,
Numa ida sem volta.
Ando porque não há mais razão.
Não importa se deixo de andar,
Ou não.
Ando sem que ninguém me perceba,
Me receba ou me veja.
Ando nessa esperança sem fim,
De voltar a ser para os outros
O que represento pra mim.

Brisa Dalilla =11/2006=

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Um pensamento em “CAMINHO”