dispensada de salvar universos

MEDO DO MUNDO

EU QUERO O MUNDO.
eu quero o manto e o medo do mundo.
eu quero o centro,
quero dentro.
quero franco
e fundo.

EU QUERO O MUNDO!
o segundo,
o minuto, a hora, o lugar, o dia.
a inconcebível alegria
da fantasia do mundo.

MAS
o oco,
do centro,
de dentro.
também desengana a vida.
vou fechar a ferida
e ver de perto o medo do mundo.

EU
não empresto,
não sequestro.
sou inverso e até retrocesso
ao seu grande de veemente pudor.

AH, MEU AMOR!
não tenho culpa se sou paixão.
se sou pura arte e emoção,
e vivo a ilusão
de querer o mundo,
e o medo do mundo,
neste segundo…

Brisa Dalilla =27/09/2007=

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *