dispensada de salvar universos

ME-TER

Não tenha medo de mostrar
A cor do teu olhar;

Não negue o toque da pele
Nem a maciez da boca;

Não previna o errado
Ou julgue o injustificado;

Não apunhale com um não
E uma ida sem volta;

Não me prive do prazer
De te ter,
E não te privo do prazer
De me-ter,

Apenas uma vez…

Brisa Dalilla =07/2004=

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *