dispensada de salvar universos

Sobre liberdade, sentimentos e erros

Não gosto de coisas premeditadas ou forçadas. Nem de pressão ou exigências demais. Já disse milhões de vezes e vocês não me ouvem: é a liberdade que me prende!! Minha paixão e sentimentos permanecem por pessoas que me deixam seguir como o vento. Como a “Brisa” que sou. Meu nome já diz tudo. É a coisa mais clara e verdadeira que possuo. A definição não vem daqueles livros de significados de nomes. Pode ir no dicionário que você acha. Vento brando e agradável; aragem fresca, viração. Meu segundo nome, Dalilla, faz o contraponto, quebrando a suavidade do Brisa por toda a história de Sansão e Dalilla (que todos já conhecem). Por isso falo de mistura bombástica de sentimentos e reações divergentes. Sou a suavidade combinada com a força. Mas não pense que com isso digo que sou perfeita, nem nada. Au contraire. Se quiser conhecer a imperfeicão em pessoa, aqui estou eu! Mas isso não me frustra. Isso me orgulha. Não vim aqui para ser exemplo de pessoa ou ídolo para ser adorado. Vim para aprender com a vida na base da tentativa e erro. E para errar quantas vezes sejam necessárias até que eu aprenda. Errar, cair, chorar, levantar, sacudir a poeira e seguir em frente. Sem medo. Ou você acha que tudo seria tão fácil?

Brisa Dalilla 21/02/08

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 pensamentos em “Sobre liberdade, sentimentos e erros”