dispensada de salvar universos

O Bilhete no Fim – Paulinho Moska

Me perdoe a impaciência
Pr’eu te perdoar também
Já estou muito atrasado
Pro foguete que não vem

Mas mesmo assim
Eu sigo meu caminho
Pela trilha secreta
Se o chão é de espinho
O céu ainda me afeta

Ao lado da parede
Tem uma porta aberta
E embaixo do tapete
O meu bilhete na certa
Que diz:

Me perdoe a impaciência
Pr’eu te perdoar também
Já estou muito atrasado
Pro foguete que não vem…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *