dispensada de salvar universos

Castanhos delírios de uma noite fluida…

Como se o mar
Invadisse a noite
Marulha o silêncio
Em meu ouvido
Sussurra lembranças
Penetra poros
Dilata veias
Por onde você
Escorre , em ondas
Que me engolem
Arrebentação…

E o meu cais te aporta , sem margens…

No espelho
São seus olhos
O meu reflexo
Desapareço
Dissolvida

Abduzida
Por alguma força mística
Poção mágica
Grudada nas retinas
Castanhos delírios
Incensando
Os caminhos…

Sinestesias…

Silêncio cheirando
A mistério…
Respiro e me inspiro
Me entrego …
Alquimia de corpos etéreos
Explosão de átomos
Mistura volátil
Encontro marcado
Numa noite lúdica
Fluida
Quase música…
A guardar em suas notas
A respiração ofegante

Do beijo imaginado…

Um violino
Ao longe
Conduz a dança
Até o ato final…
Adormeço sobre a seda
Do seu corpo astral…
Sobre as sobras dos sonhos
Amanheço…
Procuro o espelho
Preciso do ópio
Dos seus olhos
Só por mais uma noite

A última…

Eu juro…Depois…
Depois …

Quebro o espelho…

(Raiblue)

_Peguei emprestado de um blog lindo… O da Raiblue. Como minha inspiração tirou férias de mim e logo logo vai viajar pra loooonge (e demoooora pra voltar), vou ficar por aqui com os rabiscos de outros poetas e amigos, que me confortam tanto o coração. :* muá muá

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *