dispensada de salvar universos

AGOSTO

O agosto não tem mais gosto
Não tem mais certezas incertas
Não tem mais portas abertas
Não tem mais floresta pra viver.

O agosto não tem mais sentido
Não tem aquele brilho furtivo
Não tem a magia da novidade
Não tem mais você, meu abrigo.

O agosto não tem mais felicidade
Não tem passeio pela cidade
Não tem vento frio e cortante
Não tem mais a alegria no semblante.

O agosto nao tem mais nada
Não tem o trem partindo
Nem menina ansiosa na estrada
Não tem sua presença
Nem beijo quente na chegada.

O agosto não tem mais gosto,
O agosto não tem mais sentido,
O agosto não tem mais felicidade,
O agosto não tem mais nada.

Brisa Dalilla

___________________________________________

“Mel… Eu quero mel. Quero mel de toda flor. Antes que um passarinho aventureiro, que beija um beijo, doce sabor. Sabor colorido…”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *