dispensada de salvar universos

full less

minha sombra
meu tempo
meu sonho
a luz projeta inúmeros desenhos
não sinto
não entendo
não vejo
forjo análises sofridas
não considero válidas chances perdidas
pranto leva ao espanto
espanto cobre amor com manto
manto é jogado sobre corpo
corpo inerte
não se sabe vivo ou morto
pecados escusos
há tempos que procuro
viver morrer amar estremecer
sem nexo sem sexo sem mãos sins ou nãos
não protesto e entrego me enervo te espero
totalmente inerte ao infinito prazer
para nascer morrer e então reviver

brisa dalilla 29/11/07

Deixe uma resposta para Êilín Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 pensamentos em “full less”