dispensada de salvar universos

Eleições: Everybody wants to be OBAMA

São milhares e milhares de matérias falando sobre como esse ano vai haver uma revolução nas eleições, uma diferença de aproximação do candidato com seu público, a tão falada eleição digital. Mas será que vai ser tudo isso mesmo? Pra não usar um termo forte como Eden usou, arrisco a dizer que esse será o ano das escorregadas digitais. Tô exagerando? Então observe o que vem a seguir.
Jorge Corte Real – reconhece esse nome? Se você é de Pernambuco, com certeza vai se lembrar. Empresário, líder sindical, engenheiro e presidente licenciado da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE). Lembrou? Só que tem muita gente que não é de PE (incluindo eu mesma) nem sabe de onde surgiu o tal Jorge e viu esta arroba surgindo na sua timeline de repente. E olha que eu tava com tanto sono, que nem participei do buxixo. Só fiquei observando até dormir.
Claro que começaram a pipocar as maiores teorias da conspiração. Dentre elas a principal: será que ele conseguiu burlar o sistema do twitter e adicionar perfis e listas mesmo sem as pessoas aceitarem? No meio da confusão toda surge @inagaki revelando a mágica:

@naoehamor era um perfilzinho daqueles de humor ácido, que postava mensagens do estilo “O amor não faz você sentir-se especial. O nome disso é deficiência física. O amor é outra coisa.” Esse tipo de perfil costuma ter seguidores fiéis e o do @naoehamor já tinha seus mais de 30 mil seguidores, incluindo eu – veja só! Baiana, recém chegada em Pernambuco, não sabia nem de onde vinha nem pra onde ia o tal @jorgecortereal, me vi seguindo o perfil abaixo:
Apenas um tweet, milhares de seguidores e mais de mil listas. Só com um tweet, meu Deus? Não dá… O problema é que os candidatos, que não entendem patavina de internet quando mais de novas mídias, contratam os serviços do primeiro marketeiro que aparece prometendo “Você vai ser o Obama brasileiro”. Pode até ser que não seja velado assim, mas é isso que o cara pensa. “A internet vai me ajudar a ganhar as eleições.” – olha amigo, pode até ajudar. Mas se você não souber o que faz, vai é atrapalhar.
30 mil seguidores sem segmentação, de todos os cantos do país e que nem sabem que você existe, não vão te ajudar a ganhar nada. Pelo contrário, podem se tornar a sua derrocada. Todos já sabem o poder de propagação de uma ação mal feita, não preciso ficar repetindo o mantra “cuidado com o poder das novas mídias” 50 vezes, porque quem tá online vê isso ser repetido a cada 10 segundos.
No fim das contas, o candidato reconheceu o erro, pediu desculpas e tentou se redimir, voltando ao perfil antigo:
Cabe aqui dizer que a atitude não limpou de todo o erro, mas é admirável ver um político voltando atrás e reconhecendo erros, não? É tão raro, que fica até estranho. E fica o recado aos candidatos perdidos na timeline que acreditam em qualquer um que vem dizer “Sou analista de mídias sociais”, “Profissional e especialista em social media”. Não acredite para o seu próprio bem. Todos nós que trabalhamos nesse universo, ainda estamos conhecendo e testando as tais novas mídias. Todos somos passíveis de erro, claro. Mas entenda que você não pode ser o novo Obama. Construir o seu perfil e fazer com que seus eleitores acreditem em você é trabalho de formiguinha, como agora o @jorgecortereal vai ter que voltar a fazer, partindo de seus poucos, mais fiéis, 87 seguidores…

Mais informações no Querido Leitor de @rosana e no Passinho de @RealEden

Deixe uma resposta para ferramentasblog.com Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 pensamentos em “Eleições: Everybody wants to be OBAMA”