Categoria: #melosidades

  • a resposta da letargia

    a resposta da letargia

    sinônimos e anônimos Você mexe e remexe (com) o meu íntimo de uma forma que desestrutura, desmonta e espalha pedaços e desejos por todo este nosso *universo*paralelo*. Fraciona minha unidade e remete todos os meus *eus* ao encontro dos seus *eus* – que não são poucos! – tão desapercebidamente do que faz, como inconsciente da […]

  • letargia

    letargia

    Gosto quando você me descobre e me pega de surpresa. Naquele tempo onde eu, já envolvida no estado letárgico da mente e do corpo, deixo-me dominar pelo entorpecimento de sua visão em mim. Gosto porque aí o seu beijo não mente. Abusa da força e me deixa o ânimo quente. Nada se controla, tudo se […]

  • certeza

    certeza

    e quando você quer sentir aquilo de novo, mas não lembra quando, onde nem porque o mesmo sentimento se perdeu dentro de você?

  • oi você.

    você mesmo. que me olha e não me vê. que não enxerga e não me lê. não me lê e não me entende. você que deveria ser mais. você que costumava ser tudo e agora nada faz. você por quem despedaço cada fio de aço de minha proteção. você que não vê céus nem pisa […]

  • eu quero

    eu quero

    eu quero brincar de querer você. brincar de fingir te ter, tocar, tecer. brincar de sonhar me emaranhar em teus cabelos e desejos. e brincar de poder ser seu desejo. quero brincar de tentar te fazer sorrir, e sorrindo, brincar de poder te olhar dormindo. e nessa brincadeira de tanto querer, transformar o sonho em […]

  • 00:34

    soltar, descolar você da mente. desgrudar cada milímetro de você da minha pele, do meu pensamento, do meu coração. acabar, desfazer todo esse nó. desfragmentar esse pacote de agonia e tristeza que você fez questão de me dar de presente, achando super normal deixar um saco cheio de pedras na minha porta. enxugar, extirpar qualquer […]

  • but baby it ain’t over ‘til it’s over

    but baby it ain’t over ‘til it’s over

    acordou sufocada debaixo daquela aura ridícula de calor infernal. lavou o rosto, foi até a cozinha, bebeu um belo copo de água gelada. mas tudo ainda sufocava. um banho gelado talvez resolvesse. e foi o que fez. mas o sufoco aparentemente vinha de outro canto, de dentro. não dava bem pra explicar. um toque e […]

  • people are beautiful if you love them

    people are beautiful if you love them

    é muito, muito difícil mesmo entender o conceito de beleza das pessoas. “olha, eu curto os morenos, sarados, altos e de olhos verdes.” “ah, já eu gosto demais dos baixinhos com barriguinha, sabe? acho um charme.” “gordinhos são meu ponto fraco. caio fácil!” varia, né? ¬¬ o ponto chave é (e todos sabemos): seu bonito […]

  • entende?

    há os que não compreendem… mas eu entendo a felicidade que existe quando uma música me transporta para outro universo. parte do passado… quem sabe futuro. aquilo que dá pra saber que – independente do tempo – sempre estará presente. porque, mesmo que tudo mais se quebre com o tempo, é no coração que permanece […]

  • trivialidades randômicas e características estranhas do surto

    trivialidades randômicas e características estranhas do surto

    quando a gente surta parece que, além de louca, fica cega, surda e sem entender um palmo de coisas embaixo do nariz. ohhh, that’s the truth. é o esquema de “a dor é minha mesmo, é enorme, é maior que a de todo mundo porque é minha (ora bolas!) e foda-se quem achar errado”. sim, […]

  • sabe…

    eu anoto tudo que dói. pra depois ler, lembrar e tentar não deixar mais doer. ;~

  • angústia

    isso não pode ser considerado sentimento. deveria ser proibido este tipo de dor, que encolhe o coração tanto que não é possível encontrá-lo depois de um tempo. o pior de tudo talvez seja o gosto amargo na boca. quem dera pudesse ser curado com doces, chocolates (ou beijos)… não… enquanto essa dor fina não cessa, […]

  • Estranho

    É estranho começar uma festa tão animada estando tão triste.

  • sempre me lembro…

    e hoje me lembrei mais…

  • ao querer

    “desejaria coisa alguma no lugar da quietude. que me preencham ventos e horas que passam, e que ao mesmo tempo me esvaziem deste cheio confuso e irreal. não sou esta que estranha os caminhos, que não sabe aonde ir e que enfrenta com frouxidão estar só – e perde. não sou eu de palavras tão […]