Fevereiro em Belmonte 1


Transmissão,
Fluindo em transição
Da libido, do inibido
E do suor no seco!
De um encontro furtivo,
De um amasso no beco.
Da tentação…
Onde se conhece
E não é conhecido.
Da gente que vive,
Que sente,
Intensa e honestamente,
Cada confusão da paixão.
Bahia, festa, alegria!
E o tesão f l u i n d o
Na parede do beco,
Na beira do rio,
No quartinho dos fundos.
E a certeza
De que ano que vem
SEMPRE tem mais.

Brisa Dalilla =2001=


—–
Relembrando….

Sobre entojo

É alma que não se cala; Palavra que tira de tempo; Transbordo de sentimentos... Não é sopro, nem é v e n t o; É livre, leve e solta; É ar em m o v i m e n t o…

Deixe uma resposta para Edson Marques Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Um pensamento em “Fevereiro em Belmonte