constatações sobre constatações 1


as coisas nunca acabam.
amores são amores enquanto eternos, não infinitos.
situações chatas são facilmente contornadas quando precedem uma boa noite de sexo.
homens são tão complicados quanto mulheres, depende do referencial.
– 70% das pessoas que se dizem felizes, são miseráveis.
– 70% das pessoas que se dizem miseráveis, são ricas e infelizes.
– 70% das pessoas que são felizes, não dizem nada.
– 70% é um bom número aleatório quando você não fez a pesquisa propriamente dita.
o tempo cura o que tem de curar.
feridas não curadas são como portas abertas, cheias de olhos a espiar.
compatibilidade musical condiz com 90% de um relacionamento.
e sexo é uma intersecção entre todas as outras variáveis (não há como medir em porcentagem, mesmo que aleatória e apressada).
– beleza física é importante quando não há nada mais a considerar.
– sexo de qualidade e carinho estão intimamente ligados, mesmo que você não queira (ou espere que estejam).
– a vida é bela e as pessoas são legais.
– se você não acreditar na premissa acima, pode começar a se estressar constantemente pelo resto de seus dias.
todos os momentos são únicos e merecem ser vividos como tal (amores, dores, alegrias, ressentimentos, etc).
as coisas nunca acabam e, olha, nem as conjecturas sobre conjecturas deveriam acabar.

textos como esse merecem ser lidos, repetidos, imprimidos e levados na carteira, para que todo dia você possa se deparar com sua próprias verdades, fixá-las, aprendê-las e ser quem você é, doa a quem doer. inclusive você.


Sobre entojo

É alma que não se cala; Palavra que tira de tempo; Transbordo de sentimentos... Não é sopro, nem é v e n t o; É livre, leve e solta; É ar em m o v i m e n t o…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Um pensamento em “constatações sobre constatações