dispensada de salvar universos

juros sobre juros pode, arnaldo?

O que era pra ser apenas mais uma noite num restaurante legal, comendo comida japonesa (minha paixão) e batendo papo com uma galera boa, se tornou uma decepção. Vocês já conhecem os tantos sites de compra coletiva que tão pipocando na nossa querida interwebs, né? Pois é, fã de promoções como sou, comprei um cupom pra essa abaixo, no Peixe Urbano:

Coisa linda! R$10,90 num rodízio que custa R$25,90 em dias normais? Perfeição. Fui com mais duas amigas hoje à noite e até pagar a conta tava tudo bem. Papo legal, sushi legal (não era o melhor do mundo, mas pelo que eu tava pagando, tava lindo), atendimento legal. Tudo legal? Nah…

Quando chegou a conta, além do rodízio de uma amiga que estava sem o cupom da promo e dos refris/cervas que a gente bebeu, tinha uma taxa chamada ‘TAXA PEIXE URBANO’. Vou deixar em caixa alta mesmo, porque vale a pena frisar que o restaurante usou o nome do site pra criar essa taxa absurda.

Na mesma hora eu, que nem sou boa de conta, fiquei de orelha em pé. Taxa Peixe Urbano? Que é isso? Já comprei outras promos e em todas o valor que eu pagava já tinha toda e qualquer taxa a mais inclusa. Taxa de 10% já é uma coisa normal e é uma taxa de serviço, todo mundo sabe que é opcional. Então como explicar uma taxa chamada Peixe Urbano como item da conta e mais os 10% em cima do valor total? Juros sobre juros pode, Arnaldo? Não, né…

Claro que fomos falar com o gerente e o que ele disse? Senta aê e ouve, porque essa é a parte que ele se embola. Segundo ele era uma taxa cobrada em cima do rodízio, além dos 10%. E eu, claro, perguntei se aquilo era obrigatório. Ele disse que sim, que era uma taxa de serviço normal em cima do rodízio. Mas o fato era que aquela taxa não existia no rodízio normal, onde você paga o valor cheio. Aí tá explicado o nome da taxa CRIADA POR ELES. Aí embaixo tem o regulamento do site do Peixe Urbano, dizendo o óbvio “Não inclui taxa de serviço”, que são os 10% de praxe. Acredito que eles decidiram criar a taxa a partir dessa brecha e chamá-la de taxa de serviço, pra ver se colava.

Ó, vocês aqui de Recife falariam que foi pirangagem”, na Bahia diriam “canguinhagem”. Mas não é nada disso, porque R$2,59 não iam mudar minha vida financeira e muito menos me matar. Mas a minha chateação foi por tomar esse susto e pelo restaurante estar obviamente louco a me cobrar 10% em cima de 10%. Portanto, eu fiz a opção de não pagar nem a TAXA PEIXE URBANO nem os 10%, já que me senti lesada e ofendida.

Um cuidado que as empresas tem de tomar ao participar de uma promo dessas é saber se vão aguentar o tranco. Do mínimo de 40 cupons para ativar a promoção, foram vendidos 4 mil! Então tá óbvio que pra entrar numa dessas você tem que ter estrutura para segurar o que vem. E pensar que, como já disse Eden em um post há pouco tempo, essa talvez seja a primeira visita do cliente ao estabelecimento. Em teoria, já que o cliente está indo pela primeira vez, ele tem de ser encantado, bem atendido etc e tal, para voltar sempre. Mesmo sem promoção.

Como dizem lá na minha terra SE NÃO GUENTA, PRA QUE VEIO? Então, caros empresários, analisem muito antes de entrarem nessa, porque das experiências que tive até agora com a compra coletiva, saí decepcionada. São lugares que eu fui, posso até ter gostado da comida, mas o atendimento era de ruim a pior e o tratamento para quem veio com seus cupons foi mais que péssimo. E, citando uma das figuras de linguagem mais comuns da plataforma ‘tuinter’: TEM QUE VER ISSO AÍ HEIM @peixeurbano!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

51 pensamentos em “juros sobre juros pode, arnaldo?”