Monthly Archives: May 2007


Leitura 1

Leio você como quem se delicia com o gozo final
Do transe na transa,
Com o embalo de uma dança infinda.

Leio teu corpo como o músico apaixonado,
Que escreve com suas claves e notas
Um som mais que eterno.

Leio teu cheiro, que meu ar impregna
E destina meu ser.

Leio como se concluísse minha última missão na vida.
Como se cada respirar fosse uma despedida.
Como se o tempo fosse parar na última linha dessa leitura.

Leio as formas, os gestos, os gostos.
Leio as palavras, as cores e os ritmos de seu corpo.

Leio de forma infinita!
Nesta tarefa tão sublime,
Que se torna maldita!

Leio com ânsia, constância e medo,
De enfim desvendar teu mais profundo segredo…

Brisa Dalilla =29/05/07=


Horizontes Puros (Pure Shores) 3

Magia, encanto, pranto…
E logo após a alegria!
Vivo este longo dia,
Cansada pelo que não veio.
Rogo por alguém,
Que não sei de onde virá,
E não acho amor que nos prometeram ao acordar,
Nos enganando a cada segundo
Sem deixar a aurora surgir.
E ainda em meus horizontes,
Puros… De límpidas águas de fonte.
Relembro com clareza,
A sutileza de seu olhar.
Sua amizade inconstante,
Sua forma de me amar.
Não por ser belo,
Mas por ser sincero, te amo.
Sem compromissos e complicações,
Sem incertezas e desilusões,
Comuns a tantas paixões.
E aquele namorinho de portão,
Que eu pensava em solidão.
Agora deixei de pensar,
Para a felicidade encontrar.
No sonho em que tua boca beijei,
Macio favo de mel.
Uma nuvem de sonhos…
Encanto encontrado só no céu.

Brisa Dalilla


EXPLORAÇÃO 1

Leis, regras…
Todas estúpidas!
Nenhuma delas é relevante,
Não há nada instigante.
Toda minha estrutura,
Minhas idéias,
São detonadas por essa realidade torta.
Meus erros e acertos
São os influenciadores de minha índole,
Eu sei…
Mas sei também que não me basta a descoberta,
O importante é a exploração.
Só à partir disso aprenderei a lidar
Com as armadilhas da razão
E da emoção.

Brisa Dalilla =09/05/07=


peccato originale 2

A boca úmida,
Na vala úmida.
Um ensejo de desejo,
Mas a pele ainda não se satisfaz.
Seu corpo traz
O desejo latente,
Pungente, indecente,
E longe do considerado normal.
Formal? Não!
É totalmente sem padrões!
Emoções, fusões,
Jogadas no lençol branco.
Aí amanso, me estanco,
E arrefeço o desejo.
Pois sei que o que sinto
Vai além do carnal.
É meu intenso e desvairado
Pecado Original…

Brisa Dalilla =09/05/2007=


A coisa mais gostosa que já se inventou

Hoje ele me questiona como e porque tudo aconteceu. A admiração, depois o fogo, a paixão. Coisas que ainda não tiveram fim. E apesar de tudo que andamos dizendo, percebo que visualizamos tantas facetas um do outro que descobrimos o óbvio: eu o completo como ele me completa (e vice-versa, e tanto faz…).

Semelhanças e diferenças existem para o nosso bem. Só não soubemos tirar proveito delas. E se você diz que “o medo é o maior ladrão de oportunidade”, veja como – por medo – já perdemos tantas.

Neste ano completamos um ciclo. Sei que nem todas as mudanças foram benéficas, mas insisto em ser a Srtª. Coração Mole. Deixo-me alcançar os sentimentos sem bloqueios, ou sem fingir que não vejo o que acontece comigo quando você está por perto.

Não me envergonho de meus sentimentos, e talvez seja uma das poucas coisas que me orgulho ultimamente: ser intensa; doar-me por inteiro; deixar minha emoção me levar até o fim.

O que cansa o corpo e a mente é o desgaste. Há muito venho me desgastando por coisas que me permito sentir. E a partir deste momento farei o possível para deixar este sentimento em segundo, terceiro […], décimo plano, partindo do pressuposto que meu bem estar é mais importante que qualquer sentimento que busco compartilhar.

Neste ano, minha única regra é viver! Aproveitar o que a vida oferece e que há de oferecer para o meu prazer. Extrapolar quando quiser sentir-me nas alturas, moderar as atitudes quando o desconfiômetro apitar… Evitar desentendimentos e levar em meu peito o mais bonito dos sentimentos vividos.

Às vezes fecho meu olhos e vejo que não achei o que procuro. Mas quem sabe esse seja a beleza da vida… Uma eterna busca por novos sentimentos. Uma eterna busca por novos momentos. É…

A COISA MAIS GOSTOSA QUE JÁ SE INVENTOU!


*Texto publicado originalmente em 18/03/06
(mas continua atualíssimo).



MUDANÇAS 2

Olá, olá!

Nesses tempos de mudança, vamos começar essa bagaça denovo… Vou repostar todas minhas poesias aqui. Tô precisando me organizar! Vou fazer template novo… Essas coisas todas. Mas se quiser ver aquele arquivão antigo clica aqui… Ainda tá tudo lá!

Beijões!