Ritmo: Samba
Composição: Brisa Dalilla

É a poesia da música.
Tem notas, compassos, cadência e tons.
Tem toda magia, melodia e sintonia
De um samba do bom.

É a poesia que é cantada aos sete ventos.
Gritada, urrada em todos os tempos.
Afina cada corda do teu violão.
Vem lá do fundo do coração.

[refrão]
É poesia da boa.
É palavra boa que ressoa.
É pra descer gostoso
Como a bebida que te dá prazer.
Como o gole sedento de quem sempre quer beber…
Lalalaiá Lalalaiá Lalalaiá
É pra descer gostoso como a bebida que te dá prazer…

É poesia pra ser fumada, tragada, sorvida
Amada, queimada, sentida.
É poesia pra mais de metro, meu senhor
É poesia sem tirar nem pôr

Essa é a música louca
De quem segue seu destino
Sem esperar o fim.
É poesia pra você, pra ele, pra ela
E é claro, poesia pra mim!

[refrão]
É poesia da boa.
É palavra boa que ressoa.
É pra descer gostoso
Como a bebida que te dá prazer,
Como o gole sedento de quem sempre quer beber
Lalalaiá Lalalaiá Lalalaiá
É pra descer gostoso como a bebida que te dá prazer
Como o gole sedento de quem sempre quer beber
Lalalaiá Lalalaiá Lalalaiá
É pra descer gostoso como a bebida que te dá prazer…

entojo

entojo

É alma que não se cala; Palavra que tira de tempo; Transbordo de sentimentos... Não é sopro, nem é v e n t o; É livre, leve e solta; É ar em m o v i m e n t o…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Social profiles
Close

UserOnline