Uncategorized


pra você que estragou as músicas que eu mais gostava

hoje eu sinto só uns 5 centavos de affe quando penso naquilo tudo. pode baixar qualquer santo aqui pra dizer que eu precisava passar por tudo aquilo, que era ensinamento, aprendizado da vida. mas é tão cretino pensar que toda merda na sua vida tem essa coisa de “tenho que ser superior e aprender com as falhas minhas e dos outros”. você naturalmente só quer que aquilo não aconteça, que ninguém te coloque numa situação daquelas, que exista uma quantidade ínfima de empatia e a pessoa pare e pense “porque merdas tô fazendo isso com ela, cara?”.

e a gente faz praticamente todas as coisas sem pensar. sem pensar no quanto vai machucar fulano ou sicrano. no quanto vai atingir uma classe ou outra. no quanto vai deixar alguém que você gosta ressentido. a gente vai lá e faz porque foi assim que ensinaram. “você deve se impor e se defender, mocinha. fale mesmo, fale na cara.” e a gente se defende e fala na cara mesmo como se o mundo tivesse repleto só de gente ruim querendo nosso mal. e nem sempre é assim. mas, voltando ao affe, você estragou muitas músicas, cara. muitas. diversas. demais. eu tinha uma lista grande o bastante pra preencher a alma por anos e você estragou tudo. você ajudou a criar a merda da lista e você mesmo a destruiu. olha só que responsabilidade filha da puta. e podia sim ter sido de outro jeito, mas tem vezes que a gente prefere abandonar o barco que tá afundando sem olhar direitinho comofas pra tapar aquele buraco na proa. hoje eu entendo que você ainda não sabia disso. que você não entendia e sei lá se vai entender.

aprendi isso com aquela topada que tomei enquanto soluçava de tanto chorar no meio da rua naquele calor infernal. dava vontade de socar cada pessoa sorridente que passava por mim, animada e enfeitada pra uma festa que eu não tava a fim de participar. mas eu tive que sorrir. eu tive que levantar com o joelho ralado, passar merthiolate que agora nem mais arde, e seguir como se a vida fosse continuar. ela continuou mas também parou ali. parou porque eu tinha uma lista com mais de 60 músicas que eu gostava muito pra jogar no lixo. e ao o invés de fazer isso eu gravei a mais importante delas em mim. porque realmente, meu amigo, se não há mais nada pra queimar junto, a gente tem que seguir se queimando sozinho.

___________

diário de uma pessoa sem smartphone 5

dia 1

PUTAQUEPARIU JÁ ME ROUBARAM O IPHONE AÍ O MOTOROLA QUEBRA AGORA O SAMSUNG GSDJSUAHANHDGSASJSDFGSJ CARALHO!!!!!!!!!!!!

dia 2

não paro de pensar o que o ladrão pode fazer com minhas fotos e vídeos (de gatinhos). estou tendo palpitações estranhas e minha perna fica tremendo sozinha. socorr

dia 3

sonhei que o celular aparecia do nada na minha mesa e eu começava a chorar copiosamente, agarrada nele.

dia 4

coloquei o chip no meu celular antigo. consegui, depois de muito custo, instalar o viber e o twitter. o swype não funciona mais. o maps não abre. ele desliga sozinho quando vou fazer ligação. o twitter e o viber pararam de funcionar. estou chorando. vou comprar um nokia de lanterninha.

dia 5

o ônibus demorou pra chegar e eu não pude entrar no “cadê meu ônibus” pra saber onde ele tava. nem pude usar o google maps pra procurar um outro ônibus. nem pude usar o waze pra saber como tava o trânsito. nem pude ver os tweets dos @usuariometrosp pra saber se valia a pena pegar metrô. como as pessoas sobrevivem assim?????

dia 6

tava numa rua desconhecida e não sabia qual ônibus pegar. tive que pedir informação a um desconhecido e ele me respondeu certinho. não é que esse negócio de interagir com pessoas dá certo? não deu pra conferir o twitter no caminho pra casa. fiquei olhando pela janela e descobri que meu bairro tem muitas árvores e é lindo. nunca tinha reparado…

dia 7

hoje é o primeiro dia que não fico pensando se desloguei e mudei as senhas de todos os aplicativos. ai, gente… será que eu desloguei e mudei a senha de todos os aplicativos? meu deus, esqueci do gmail! vou colocar a verificação de dois passos por via das dúvidas.

dia 8

encontrei meu kindle enfiado debaixo de uma bolsa. nem sabia que tinha perdido. li um livro inteiro no caminho pro trabalho. tava com saudade de ler e nem lembrava.

dia 9

descobri que no celular antigo funciona fm. como tem estação de rádio aqui, né? fiquei até perdida em qual escolher. descobri que katy perry tá nas paradas de sucesso.

dia 10

sou outra pessoa. acho que não vou comprar outro smartphone 🙂

dia 11

sonhei que estava dentro duma partida de triple town e os ursos malvados ficavam batendo na minha cabeça com pedras, dizendo que eu não tinha condições psicológicas de juntar 3 arbustos e fazer uma árvore =~

dia 12

a câmera desse celular não funciona e eu me pego tirando fotos imaginárias e fazendo posts imaginários no instagram. não sei até quando posso suportar.

dia 13

MEU DEUS EU PRECISO DE UM SMARTPHONE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

___________

O Bilhete no Fim – Paulinho Moska

Me perdoe a impaciência
Pr’eu te perdoar também
Já estou muito atrasado
Pro foguete que não vem

Mas mesmo assim
Eu sigo meu caminho
Pela trilha secreta
Se o chão é de espinho
O céu ainda me afeta

Ao lado da parede
Tem uma porta aberta
E embaixo do tapete
O meu bilhete na certa
Que diz:

Me perdoe a impaciência
Pr’eu te perdoar também
Já estou muito atrasado
Pro foguete que não vem…

___________

Belo belo belo

Belo Belo
Belo belo belo,
Tenho tudo quanto quero.

Tenho o fogo de constelações extintas há milênios.
E o risco brevíssimo – que foi? passou – de tantas estrelas cadentes.

A aurora apaga-se,
E eu guardo as mais puras lágrimas da aurora.

O dia vem, e dia adentro
Continuo a possuir o segredo grande da noite.

Belo belo belo,
Tenho tudo quanto quero.

Não quero o êxtase nem os tormentos.
Não quero o que a terra só dá com trabalho.

As dádivas dos anjos são inaproveitáveis:
Os anjos não compreendem os homens.

Não quero amar,
Não quero ser amado.
Não quero combater,
Não quero ser soldado.

Quero a delícia de poder sentir as coisas mais simples.

Manuel Bandeira

—–

(…)
Sem saber o que fazer e/ou dizer…

___________

Então… 1

E aí que eu tenho uma necessidade incontrolável de mudar. Sempre, forte, para todos os lados. E sabe quando você está se sentindo “a-mesma-coisa-de-sempre”? Pois é, tô me sentindo assim. Então tá na hora de botar o papel e a caneta na mão e começar a fazer as listinha de coisas a melhorar/mudar/adaptar. Gosto dessas fases. Têm sabor acre no começo, ok, admito. Mas o gosto de buballo de tuti-frutti que vem depois é maravilhoso!

E vâmo que vâmo, que enquanto os cães ladram a caravana tá passando!
E essa carona eu não perco jaméuris (piada interna)!

;*

___________