dispensada de salvar universos

ARTE

Camena é minha arte,
Minha criação,
Meu roteiro inacabado.

É meu sinônimo,
Meu anônimo,
Minha (ir)realidade.

É meu sentimento
(há tanto guardado)
É meu real
Espectro imaginário.

É o poeta consistente
Que em sua poesia
Não se enconde
E não mente.

E que é meu
(em sua maior parte)
Até porque foi criado
Pela minha própria arte.

Existe simplesmente
Pelo querer do meu querer
E se tornou a personificação
Do mais profundo do meu ser.

Brisa Dalilla =19/05/2008=

Deixe uma resposta para Dalilla Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 pensamentos em “ARTE”